sexta-feira, novembro 24, 2017

ANTROPOCENO


a nossa joaninha Fiama Jasmim, em digressão por um planeta verde, onde sejam possíveis outra vez os imaginários, os lendários, os mitos, as novas e velhas religiões...que  tudo ou quase tudo não seja pelo dinheiro e com o dinheiro...continuam a existir e a persistir os "espíritos dos lugares"...

quinta-feira, novembro 23, 2017

há quem não dê
há quem não dê sequer ao cão

ruy duarte de carvalho. observação directa. p. 22

quarta-feira, novembro 22, 2017



take a journey to the bright midnight

the doors, end of the night. EKS (1967)

terça-feira, novembro 21, 2017

um sol demente perfura as pedras da calçada
com círculos respirados
uma cabeça caída sobre o corpo ébrio
sai da sombra espessa das casas

a cabeça quer ultrapassar as pedras
adormecidas e trespassadas
pelos círculos de uns olhos
de sóis estagnados

a cabeça  & os olhos
sentam-se para adormecer
alguém passa por dentro do écran
& pergunta como se respira

eddy chambino. caderno 00. 2017

SACRED DANCES

(immanence)

sexta-feira, novembro 17, 2017

o caco já foi panela
e o escravo já teve mãe

ruy duarte carvalho. observação directa. p18

quinta-feira, novembro 16, 2017

(...) ainda é nos desgraçados, nos miseráveis, nos repelidos, nestes e não nos felizes superficiais, não nos príncipes de quaisquer poderes (...) que perdura o eterno germe da redenção do homem.

josé régio. poemas de deus e do diabo. p. 27

una, é a luz do sol...

quarta-feira, novembro 15, 2017

CARTAS-SONHOS


esta é a primera carta deste ano ao pai natal da nossa princesa Fiama Jasmim (5 anos). estamos curiosos com os sonhos-pedidos. perspectivam-se outras cartas...
e um dia, ó flor de luxo, nas estradas
sob o cetim azul e as andorinhas
eu hei-de ver errar, alucinadas,
e arrastando farrapos - as rainhas!

Cesário Verde, (1875)