sábado, julho 22, 2017

sexta-feira, julho 21, 2017


regozijado grito orações 
para dentro destas veredas vincadas
                                         
que gente gigante
que desgastada e explorada
ainda se lembraria 
de abraçar as pedras e as árvores

*idanha-a-nova, "a oliveira do abraço". eddy chambino, 2017.

quarta-feira, julho 19, 2017

ASSOCIATIVISMO, CENTROS HISTÓRICOS....


em termos daquilo que é o papel das associações locais, urge auscultar as suas actuações no presente, pois para mim o grande desafio é precisamente os incentivos à participação na vida colectiva, fazer com que as pessoas tenham, muito para além das suas vidas profissionais, tenham essa urgente, activa e necessária vida cultural. no caso da vila idanhense, onde algumas destas associações mantêm as suas sedes na zona histórica (Club União Idanhense, Filarmónica Idanhense, Casa do Benfica), urge perspectivar-se,  em termos de iniciativas diversas, estes polos como eixos de agregação dessa mesma vida cultural neste perímetro urbano histórico. ouvi recentemente algumas opiniões de sócios do C.U.I defender uma eventual mudança da sede desta centenária instituição para o actual centro administrativo da vila. não poderia haver maior erro que estas visões em torno da modernidade e os futuros utópicos. um centro histórico de qualquer aldeia, vila ou cidade, é para para além de muitas outras coisas, (ou pelo menos pretende-se que assim seja) um altíssimo polo agregador da vida cultural, pois os patrimónios que o identificam e (re)significam não podem ser convertidos numa mera paisagem museográfica (no sentido dos objectos em vez das pessoas), onde a necessária vida quotidiana e cultural que os animava se plasma num conjunto de pontuais iniciativas festivas. é necessário ir mais além, olhar para estes lugares como desafios problematizantes, até porque na sua grande generalidade, acompanham preocupantes endémicas desertificações (definhamento do tecido económico, abandono patrimonial, insegurança, etc). ainda assim, o caso de Idanha-a-Nova, traz-nos iniciativas contrárias a muitos outros centros históricos do país, pois o município mantêm alguns serviços nesta zona (arquivo municipal, acção social, etc), tal como os serviços da segurança social. são pequenas iniciativas deste género que fazem toda a diferença na vida social e cultural dos centros históricos. 

terça-feira, julho 18, 2017

fyodor telkov
o rebanho flutua
na poalha luminosa
do crepúsculo.

Luis Maçarico, Transumância das pequenas coisas. (20)

sábado, julho 15, 2017

UMA PRINCESA, A NOSSA FIAMA JASMIM...


assim tem crescido a nossa princesa, os ritmos e as vidas vão se intensificando, com uma vida tão intensa e cheia de sonhos...cá estaremos minha querida para te ajudar a manter esse sorriso, são esses sorrisos que fazem deste planeta o mais único de todos os lugares cósmicos...

sexta-feira, julho 14, 2017

CINEMA


LADOEIRO, O NOBRE "TERROIR" DA MELANCIA...


tenho referido já muitas vezes, que este exemplo de Ladoeiro associado a uma espécie de "terroir" da melancia será no futuro um excelente laboratório de múltiplas experiências agro-ecológicas. na minha opinião falta apenas explorar o verdadeiro ciclo da melancia, fazer uma espécie de "etnografia da melancia de Ladoeiro".