quinta-feira, julho 31, 2008

JARDINS URBANOS...

jardins urbanos...o mundo das formas beliscanos constantemente...participa no nosso inconsciente...no nosso bem estar...nas nossas emoções...valia a pena repensar o mundo...

DESIGN DE SONHO...


um espanto de cadeira!!! um design encantador...

quarta-feira, julho 30, 2008

FRAGMENTOS DE UMA INVESTIGAÇÃO


(Maria Nabais, Penha Garcia)

estes são fragmentos do denominado "terreno" antropológico. ficam os rostos, os gestos, as proximidades, as duvidas, as desconfianças, enfim, nada mais salutar do que conhecer "pessoas" e "lugares". na imagem, a Ti Maria Nabais indica-me ao promenor o que são as "cobras que estão desenhadas nas pedras" (fósseis). desta forma, a investigação abrangeu este importante imaginário associado aos fósseis de Penha Garcia, que por sua vez aparece reproduzido no lendário popular da aldeia.


terça-feira, julho 29, 2008

O TREMOCINHO...

Rosmaninhal, festa de S. João, 2007.

os tremoços remetem-nos para os contextos festivos, pois pautam amiúde estas efemérides (embora cada vez menos). hoje, qualquer cervejaria dispõe deste aperitivo. é curioso, há uns dias estive numa cervejaria e à medida que iam entrando inúmeros estrangeiros, a grande maioria olhava para os singelos tremoços e de imediato acenavam ao empregado para lhes trazer também um tremocinho. o tremoço, embora não pareça, é um óptimo nutriente, apenas o excesso de sal é o menos deste delicioso aperitivo. o seu preparar encerra um conjunto de saberes especializados, desde a colheita ao seu adoçicamento, exige um conhecimento bastante apurado. no Rosmaninhal, sempre ouvi dizer que os tremoços eram adoçados com "urina de velha", isto talvez devido à coloração da água enquanto estão no processo de adoçicamento. também é nesta aldeia que este "marisco" pauta a ritualidade alimentar do dia de S. João, sendo distribuido gratuitamente conjuntamente com as tradicionais broas de S. João e os esquecidos. como estamos numa de calor, disfrutem de uma cervejinha e de um tremocinho, se possivel à beira mar, se não, escolham uma maravilhosa esplanada raiana.

JORNADAS DE MUSEOLOGIA EM IDANHA-A-NOVA: FUNÇÃO SOCIAL DO MUSEU


"O Geopark Naturtejo da Meseta Meridional, em parceria com a Câmara Municipal de Idanha-a-Nova e o grupo português do MINON – Movimento Internacional para uma Nova Museologia, estão a organizar as XVIII Jornadas sobre a Função Social do Museu, que vão decorrer no Centro Cultural Raiano, em Idanha-a-Nova, entre os próximos dias 25 e 28 de Setembro.
Estas Jornadas serão subordinadas ao tema “
Geoturismo, Desenvolvimento
Local e Museologia”.

Este é o local indicado para debater todas questões acerca da actual nova museologia, desta vez em território raiano...

A não perder!!!

segunda-feira, julho 28, 2008

(.?.)



Sigur Rós - Svo Hljótt

"...algo de verdadeiramente incrivel está a acontecer à minha volta..em breve...muito em breve será desmontado...desarticulado...cobardemente decifrado...uma autêntica panóplia saloia...das mais puras alguma vez vistas"

sexta-feira, julho 25, 2008

ATAPUERCA: EM BUSCA DAS ORIGENS


(Fonte: El Pais)
"Investigadores excavan en el yacimiento Gran Dolina, de Atapuerca, donde se descubrieron, en 1994, los primeros fósiles de la especie Homo antecessor, de hace más de 850.000 años."
este é o lugar...um autêntico campo de trabalho, mais, uma fábrica de conhecimento, mais, um laboratório in situ, mais, uma universidade na montanha, mais, uma experiência única. a organização deste campo de trabalho impressiona...tanto pela produção cientifica ao longo destes últimos anos, como pela dinâmica mantida através de milhares de investigadores...resultado..muito à frente!!

quinta-feira, julho 24, 2008

MUSEU CARGALEIRO



Museu Cagaleiro, Castelo Branco.
visitei e gostei...

LARÁPIOS DO PATRIMÓNIO II


passei num destes dias por Proença-a-Velha e reparei na ausência desta importante cruz que assinalava um sentido e trágico acontecimento: o da morte de um filho e de uma mãe num poço das proximidades. pelos vistos houve alguém que apagou de vez esta singularidade...

CAPELA S. PEDRO DO CACÉM

Santiago do Cacém, Capela de S. Pedro do Cacém

esta capela solitária, na encosta do belissimo castelo de Santiago do Cacém, prima pela simplicidade, emanando uma força qualquer vinda de algures.

acerca da sua história:

"O templo foi construído no século XVI, desconhecendo-se até ao momento a data do início das obras, o nome do fundador, as reconstruções ou os motivos que levaram à sua construção, por sua vez baseada num modelo caracterizado pela justaposição de dois módulos arquitectónicos diferenciados: a galilé ou nartex e a capela.A galilé ou nartex - galeria com arcadas adossadas à fachada principal - serviu em outros tempos para dar apoio aos romeiros e peregrinos das procissões e festas em honra de S. Pedro. A capela - incendiada em 1895 -, por sua vez, apresenta linhas muito simples, com portal em cantaria e óculo no frontão, definindo uma só nave abobadada e uma cabeceira composta por sacristia e capela-mor, esta com cobertura de cúpula.No seu interior pode ser observado um registo de azulejo de João Paulo II, da década de oitenta do século XX, e a imagem do orago, um S. Pedro do século XVIII." (Fonte: CMSC)


quarta-feira, julho 23, 2008

segunda-feira, julho 21, 2008

VIII ENCONTRO DE PASTORES, NÓMADAS Y TRASHUMANTES


mais uma celebração em torno do mundo e da cultura pastoril. este ano foi criada uma rede europeia de museus pastoris.

sexta-feira, julho 11, 2008

O ÚLTIMO GRANDE PASTOR-ARTISTA DE IDANHA-A-NOVA






António "Cacarne" é sem dúvida um dos maiores pastores-artistas que o concelho de Idanha-a-Nova alguma vez conheceu. A sua colecção impressiona, assusta, fascina, talvez mesmo não exista colecção de arte pastoril na Europa e quiça no mundo com tamanha criatividade, engenho e dedicação como esta. Todos os objectos remetem-nos para um território de pastorícia específico, característico desta região, repleto de histórias e memórias. Através destes objectos tenho registado essa dimensão quase esquecida da vida de um pastor de Idanha-a-Nova. Os seus tempos, quotidianos, ciclos, cálculos, medições, acontecimentos, devir, etc,. Os objectos tornam-se assim actores vivos nessa mesma narração da memória pastoril. Aquele traço, aquela curva, aquela cortiça, aquela madeira, aquele pormenor, aquele corte, aquela tecnica, enfim, tudo se conjuga, objectos e memória fazem parte dessa mesma equação chamada museu. Sem a memória estes mesmos objectos seriam mais um conjunto de objectos e nada mais...repito, nada mais...
....Ao último pastor-artista de Idanha-a-Nova...

A RUINA...


não há nada mais constrangedor que uma casa em ruínas, pois remete-nos para o campo da morte, do esquecimento, do abandono, do vazio. Ali, todas as memórias se encontram dilaceradas. porém, ao entrarmos num destes espaços abandonados, temos a impressão de estar a invadir a intimidade de alguém, os seus segredos e as suas memórias. a casa é um universo muitíssimo complexo, é pois em torno do seu espaço interior e exterior que se estrutura toda a dinâmica de um conjunto de vidas. neste sentido, a casa em ruínas, abandonada, vazia, talvez assombrada, assinala essa morte que causa perturbação. seria interessante perceber quê discursos projecta uma casa em ruínas no espaço social de uma aldeia...

quinta-feira, julho 10, 2008

quarta-feira, julho 09, 2008

QUEM NÃO SE LEMBRA?



o grande "feitiçeiro" João César Monteiro...tal como é, como foi e como sempre será..

MAIS PATRIMÓNIOS DA HUMANIDADE...

(fonte: El Pais)



acabam de ser proclamados Património da Humanidade (eu pergunto, qual humanidade? será que sabemos quem é a humanidade? ou será apenas a Humanidade do mundo ocidental.!!?..e o resto?? e os outros milhões de seres humanos? pois haveria aqui matéria para um estimulante debate...) mais 17 grutas pre-históricas com pinturas rupestres em Espanha.

domingo, julho 06, 2008

PATRIMÓNIO MINEIRO




Museu mineiro, Escucha (Espanha).

TRABALHOS DO FERRO


Albarracin-Espanha.

nesta histórica povoação espanhola, a arte do ferro forjado associada à arquitectura das casas, é um marco turístico-patrimonial bem explorado pelas entidades oficiais. vale a pena o deslumbramento despreocupado.


MUSEO DE LA TRASHUMANCIA


museu da transumância de Guadalaviar (Serra de Albarracin-Espanha).

representação do pastor transumante.

"SOCIAL TV"

rara é a empresa de tecnologia ou afins, em Portugal, que recorre ao trabalho de investigação dos antropólogos. apenas interessa engenheiros e engenheiros e mais engenheiros...pois, no topo deste universo de produção tecnologica e afins, as melhores empresas americanas e não só, recorrem à decadas, repito à decadas, ao importante trabalho dos antropólogos, na medida em que estes, com as suas metodologias de análise, serão os melhores posicionados para ajudar todos os outros técnicos especializados (engenheiros, designers, etc) a compreender melhor o cerne dos comportamentos e lógicas do consumo tecnologico e suas aplicações dentro do mundo social. a titulo de exemplo, veja-se o presente caso da gigante MOTOROLLA:




“ The fascinating thing about communications technology research is thinking about how we can design to help people enhance their social relationships.”

leia aqui: http://www.motorola.com/content.jsp?globalObjectId=8471-9277


e em Portugal, onde é que nos posicionamos? na perpetuação do eterno complexo-ciências sociais vs ciências exactas?

ALCÁCER DO SAL...






o cair da noite numa cidade branca...

sábado, julho 05, 2008

ARQUITECTURA TRADICIONAL: O PALHEIRO



Palheiros, Rosmaninhal, 2008.


o palheiro, no concelho de Idanha-a-Nova, assim como em grande parte do país, constituiu uma importante estrutura de apoio à agricultura. ali se guardava o feno, as alfaias agricolas, os animais de carga, a lenha, a cortiça, a lã, etc. configuram-se em núcleos no espaço limítrofe das aldeias, pois esta organização urbanística foi consequência do afastamento dos animais dos nucleos habitacionais. hoje, com o abandono quase total das actividades agricolas, estes importantes espaços agonizam numa morte mais que anunciada. porém, aqui e ali, ainda vão surgindo projectos pontuais de turismo rural que aproveitam estas arquitecturas ditas moribundas e nelas alicerçam novos usos e novas formas de os vivificar. passam, portanto, de velhas tipologias ligadas ao mundo do trabalho, para passarem a enquadrar eruditos mapas da expressão da excelência da quietude, do descanso quase santificado. um autêntico paradoxo, quem diria?? contudo, nem todos os palheiros das aldeias se podem transformar em hóteis rurais ou casas rurais, muito menos em museus ou nucleos museológicos. pois então, o que fazer com todas estas tipologias que impreterivelmente caem na consequente e ansiosa ruina? muito para além dos inventários, estudos, salvagurdas, seria necessário (re)coloca-los nas rotas do conhecimento, nas rotas do saber das universidades, nas rotas dos projectos com os idosos, enfim, nas rotas da vida...

"não se faz palheiro sem palha", dito popular, Idanha-a-Nova.

sexta-feira, julho 04, 2008

SENSAÇÕES...


Beirut- arborea

PARA PENSAR...

"O verdadeiro rosto da história afasta-se veloz. Só podemos reter o passado como uma imagem que no instante em que se deixa reconhecer lança um clarão que não voltará a ver-se. «A verdade não nos escapará» - esta palavra de Gottfried Keller caracteriza com exactidão, na concepção da história que têm os historicistas, o ponto em que o materialismo histórico realiza o seu avanço através dessa imagem. Irrecuperável é, com efeito, toda a imagem do passado que corre o risco de desaparecer com cada instante presente que nela não se reconheceu. (A feliz notícia trazida pelo ofegante historiógrafo do passado sai de uma boca que, talvez no próprio instante em que se abre, fala já no vazio.)"


Walter Benjamin, in 'Teses Sobre a Filosofia da História'

quinta-feira, julho 03, 2008

PARA A SÃO...



...para a São que partiu deste estranho mundo...

O POVO??


será que ainda existe tal categoria? quem é o POVO? o que torna cada como POVO? o que interfere, une e afasta do POVO? existe POVO sem POVO?

UM GRANDE FEITIÇEIRO QUE NOS OBRIGA A MEDITAR...




"O mais esperto dos homens é aquele que, pelo menos no meu parecer, espontâneamente, uma vez por mês, no mínimo, se chama a si mesmo asno..., coisa que hoje em dia constitui uma raridade inaudita. Outrora dizia-se do burro, pelo menos uma vez por ano, que ele o era, de facto; mas hoje... nada disso. E a tal ponto tudo hoje está mudado que, valha-me Deus!, não há maneira certa de distinguirmos o homem de talento do imbecil. Coisa que, naturalmente, obedece a um propósito.
Acabo de me lembrar, a propósito, de uma anedota espanhola. Coisa de dois séculos e meio passados dizia-se em Espanha, quando os Franceses construíram o primeiro manicómio: «Fecharam num lugar à parte todos os seus doidos para nos fazerem acreditar que têm juízo». Os Espanhóis têm razão: quando fechamos os outros num manicómio, pretendemos demonstrar que estamos em nosso perfeito juízo. «X endoideceu...; portanto nós temos o nosso juízo no seu lugar». Não; há tempos já que a conclusão não é lícita."

Fiodor Dostoievski, in "Diário de um Escritor"


Fiquemos em silêncio
!

quarta-feira, julho 02, 2008

FRANCIS BACON


Estudo da cabeça de George Dyer (1967)- FRANCIS BACON
este quadro foi vendido num leilão em Londres por 17, 3 milhões de euros.........!!!!!!!!!!!!!!!
hipnótico...este mundo da arte!!!!