quarta-feira, abril 29, 2015

BIBLIOGRAFIAS LOCAIS


o tempo metereologico nas sociedades rurais foi ao longo dos tempos apropriado e traduzido de forma muito particular, ora pela sua imprecisão, pela sua dimensão de risco para a agricultura e afins.  reveste-se, portanto, de um conjunto de singulares alfabetos dignos de serem estudados e salvaguardados. nas bases da sua organização está todo um valioso corpus de lendas, superstições e inquietudes.

assim, este livro da investigadora da região, Drª Maria Adelaide Salvado, torna-se numa obra preciosa para o entendimento, decifração e valorização deste património imaterial já tão difuso...

terça-feira, abril 28, 2015

segunda-feira, abril 27, 2015

domingo, abril 26, 2015

A PROPOSITO DO FUTEBOL...


"Um famoso técnico português foi assassinado -
toda a paixão, a sedução e a corrupção do mundo do futebol"

*

sábado, abril 25, 2015

25 D'ABRIL

(galeria valle orti)

*talvez estejamos à procura de uma "ressurreição democrática"

quinta-feira, abril 23, 2015

VIVA O BODO DE MONFORTINHO. FESTA E DÁDIVA (2015)


o Bodo em louvor da N. Sª da Consolação em Monfortinho (em conjugação com o Bodo de Salvaterra do Extremo) são celebrações com notáveis aspectos culturais e identitários. trata-se de festividades que comportam e assentam sobretudo nessa componente de gasto. a comida ritual ocupa uma centralidade quase absoluta, é em torno dela que tudo se organiza e se esclarece (e se complica). aqui neste amplo espaço da aldeia, os símbolos e as memórias ganham corpo, o fogo acende-se e as panelas borbulham aromas das essências das carnes caprinas, receitas e linguagens locais. estas remotas práticas alimentares associadas aos eixos de sociabilidades comportam contornos e importâncias  patrimoniais impares para o concelho e a região. 

quarta-feira, abril 22, 2015

*BIBLIOGRAFIA


*obra fundamental para reflexão destas problemáticas tão actuais (território, fronteiras, imigração, refugiados, nacionalismo...)

QUEM TIVER OUVIDOS QUE OUÇA...

(george valdez)


|Jesus| 

crer na sua grandeza mesmo na hora mais atroz da sua humilhação

*g. papini

segunda-feira, abril 20, 2015

UMA ORAÇÃO MAIOR QUE O MUNDO...

(boston)

mais 700 vidas humanas a somar aos 4500 nos últimos 15 meses. e isto não é uma forma de  genocídio?

DO TERRENO...

*

terça-feira, abril 14, 2015

NERVURAS DA NOITE...

(neighborhood)


quase sempre alcanço as nervuras da noite com profundas leituras. são quase sempre impulsos ou voos iniciáticos, ao jeito da procura de uma antropologia para além dos conceitos "industriais". mas nem sempre resultam ser proveitosos, além do mais, são amiúde cansaços, longos cansaços...

domingo, abril 12, 2015

PELOS NAUFRAGOS...

(aurelia)


uma vez em Lisboa cruzei-me com um dos maiores poetas portugueses, M. Cesariny, foi numa homenagem ao Herminio Monteiro (um dos maiores editores portugueses, Assirio & Alvim) e nessa metafísica imediata e perigosa ouvi as suas palavras limpas: estou aqui hoje tal como um naufrago estaria no meio dos destroços do seu navio naufragado...

sábado, abril 11, 2015

*


e o antropólogo Claude Levi-Strauss detestou a Baia de Guanabara
pareceu-lhe uma boca banguela


OBJECTOS MISTERIOSOS

(void)

quarta-feira, abril 08, 2015

terça-feira, abril 07, 2015

II CURSO LIVRE SOBRE RELIGIOSIDADE POPULAR


02 de abril (quinta-feira santa). durante o painel da manhã: Dr. Catana (moderador), Drª Adelaide Salvado (geógrafa) [as fontes de S. Pedro de Vir a Corça]  e Dr. José Pedrosa (Literatura Comparada, Universidad Alcalá, Espanha) [oraciones, conjuros y ensalmos en España e Hispanoamérica]

*

(alfred kubin)

segunda-feira, abril 06, 2015

NA NATUREZA...

(Рубинштейн Дмитрий)

esquecemos muitas vezes que na natureza não há distinções. todos por igual tem direito ao sol, à chuva, ao frio, ao calor, à névoa, à neve. as mesmas ervas selvagens são colocadas na mesa do rico e do pobre. isto deveria ser um ensinamento. 

domingo, abril 05, 2015

TRIDUO PASCAL. LIÇÃO



muitas são as lições (conselhos/orientações/reflexões) que podemos aprender das celebrações referentes ao "triduo pascal" e ao actual "tempo pascal". destas, escolhi uma com uma intensa carga simbólica e ao mesmo tempo com um  actual e absoluto sentido pragmático, provavelmente uma das criticas mais lúcidas ligadas às históricas representações dos poderes, conjuntamente com as suas graduações e de certa forma com a sua dose utópica no que diz respeito às inversões dos papeis sociais.