terça-feira, dezembro 27, 2016




uma vez que aceitamos os nossos limites, vamos além deles

a. einstein


algures pela noite de inverno. a deslumbrante figueira nua.

quinta-feira, dezembro 22, 2016

INVERNO



o Natal é a grande festa do ciclo de inverno, incluindo-se na região as fogueiras (madeiros) que se generalizam às beiras e ao alto alentejo. durante este ciclo realçam-se algumas especificidades gastronómicas locais,  o porco e os seus derivados são os grandes protagonistas do inverno, o azeite, os queijos, as sopas e claro a doçaria associada ao ciclo natalício. trata-se de um período caracterizado pelas forças centrípetas em torno do fogo.  estas atenções ao calendário são importantíssimas para os sentidos (sensoriais/sociais/culturais)...

quarta-feira, dezembro 21, 2016

SOLSTÍCIO DE INVERNO


começa hoje o longo ciclo do inverno. tenho algum fascínio pela penumbra dos anoiteceres deste período. principalmente o cheiro das lareiras acesas e as arcaicas forças centrípetas à volta do fogo. 
nicola bealing 


outro mundo é possível?

terça-feira, dezembro 20, 2016

(pepperminta)

𝛙

com mirra, incenso e nardo me hei-de embebedar
e com genuflexões, boas carnes e vinhos,
pra saber se consigo nessa estranha alma
usurpar com o meu riso os rituais divinos!

baudelaire, as flores do mal, p.51.

segunda-feira, dezembro 19, 2016

(makoto azuma)



dos sonhos cromáticos....

domingo, dezembro 18, 2016

(robert stawell)


tempo luzente...(meditação)

Joan Gascó. 1513

larvar. latente. inconsciente. coma.
assim no mergulhar da névoa

sábado, dezembro 17, 2016

quinta-feira, dezembro 15, 2016

quarta-feira, dezembro 14, 2016

terça-feira, dezembro 13, 2016

ANTROPOLOGIA APLICADA

este é um excelente exemplo de como a antropologia pode ajudar a melhorar e a complementar o mundo empresarial...

*



walt wthiman, samuel murray and thomas eakins (1891).


"para que haja grandes poetas é preciso que haja também um grande público"


*e como todos sabemos não existe, mesmo nas grandes cidades, o que temos cada vez mais super-desenvolvido são hordas dispostas a comer e a bailar. daí a letargia das bibliotecas, os arquivos e todas as instituições generalizadas do "pensar". as próprias universidades oferecem cada vez mais "cardápios apetecidos" em vez de estratégias para integrar o mundo que a rodeia. assim se sobrepõe a moeda ao espirito, o comercio ao pensar, o produto ao detalhe, a fábrica ao manual, o depressa ao devagar...

VITAM AETERNAM




cemitérios. 2016

segunda-feira, dezembro 12, 2016

*



hoje tiram-se biliões de fotos por minuto, talvez este minuto equivale à totalidade de fotos tiradas em todo planeta durante os finais do século XIX e meados do século XX....

*



à volta da velha amoreira...

domingo, dezembro 11, 2016

*



em direcção ao céu...esta poderia ser a imaginária porta-estreita...

FACA, MOMENTOS...

momentos da FACA...

sábado, dezembro 10, 2016

FACA, MOMENTOS...


conversas com as antropólogas Inês Mestre e Catarina Leal e os seus documentos/envolvimentos filmícos.

sexta-feira, dezembro 09, 2016

FACA, MOMENTOS...



terminou hoje esta partilha experiêncial em torno da documentação visual (filme, desenho, arte, antropologia). 

quarta-feira, dezembro 07, 2016

terça-feira, dezembro 06, 2016

*

cotoneaster horizontals. 2016


ϕ

não me tinha dado conta de que este blogue cumpriu a solene idade de 10 anos. foi em dezembro de 2006 que decidi tecer atenções às partilhas do digital. sempre tive a consciência de estar a alimentar com conteúdos criativos e vulgares essa comercial ideia tecno-empresarial, directriz desta nossa era digital-capitalista. contudo, também sempre tive a lucidez de que se distanciava da selvajaria do capital disponível do "face", ou seja, onde milhares trabalham grátis (com o seu tempo dedicado à alimentação da fera, cada vez mais gorda). ainda assim, temo que aqui também estarei à beira do limite...

segunda-feira, dezembro 05, 2016

*

🜄


uma árvore em flor fica despida no outono. o belo transforma-se em feio, a juventude em velhice e o erro em virtude. nada fica sempre igual e nada existe realmente. portanto, as aparências e o vazio existem simultaneamente.

*dalai lama

domingo, dezembro 04, 2016

quarta-feira, novembro 30, 2016

*

as bombas podem matar os famintos, os doentes, os ignorantes, mas não podem matar a fome, as doenças, a ignorância...

*el comandante fidel castro

domingo, novembro 27, 2016

NO CCR, FESTA DE ANTROPOLOGIA, CINEMA E ARTE


Festa de Antropologia, Cinema e Arte
O Município de Idanha-a-Nova celebrou recentemente um importante protocolo de colaboração com o Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA) no sentido de ampliar as suas perspetivas multidisciplinares de envolvimento em redes de investigação.
No eixo deste protocolo está a organização partilhada entre o Centro Cultural Raiano (CCR) e o Núcleo de Antropologia Visual e da Arte do CRIA (NAVA) da extensão/colaboração da Festa de Antropologia, Cinema e Arte (FACA) em Idanha-a-Nova, que acontecerá no CCR durante os dias 1, 2, 8 e 9 de dezembro.

A extensão da FACA em Idanha-a-Nova pretende ser um estímulo à reflexão, um potencial laboratório de experiências partilhadas entre a antropologia e a arte, ultrapassando essa linha de fronteira dos seus encontros e desencontros.



programa

sábado, novembro 26, 2016

*


🝔

das intensidades das cintilações da chuva...

sexta-feira, novembro 25, 2016

►◄

eu não tomo drogas porque eu próprio sou uma droga

*salvador dali

quinta-feira, novembro 24, 2016

*




ao longo da estrada as folhas amarelecidas das árvores. a chuva rompe num imediato contra o para-brisas. a luz da manhã entre as pedras molhadas como faróis entre a névoa convidando-me a pernoitar por aqui nesta pequena eternidade.



quando o poder do amor se sobrepor ao amor
 do poder o mundo conhecerá a paz

*jimi hendrix

quarta-feira, novembro 23, 2016

*


◄◄◄


e perante a noite as intensidades verdes da horta. imagens e imagens de verdes sem fim que se esvaziam no interior da escuridão. retiro deste negro os verdes....imagens de verdes...

FESTIVAL FORA DO LUGAR



terça-feira, novembro 22, 2016

*


🜊
pelas intensidades de um velho itinerário silencioso. chove e as pedras já voltaram aos tons verdes. holderlin haveria de saudar estas coisas sublimes. escrevi esta frase nómada de Rimbaud num papel que levo comigo: "e errávamos, sustentados pelo vinho da mina e pela bolacha da estrada, eu com pressa de achar o lugar e a formula"

domingo, novembro 20, 2016

(jingwei viu)




vivemos numa sociedade profundamente dependente da ciência e da tecnologia e em que ninguém sabe nada destes temas. isto constitui uma forma segura para o desastre.

𐆓C. Sagan

FONTANÁRIOS DE IDANHA...



são muitas e vulgares as vezes que se criticam as más práticas em torno das acções e actuações civicas das juntas de freguesia e dos municipios e as boas quase nunca se divulgam. estes fontanários foram recentemente limpos e sofreram pequenas reparações, quem ganhou foram todos os idanhenses, pois estes patrimónios relacionados com as águas públicas são importantíssimos para que todas as outras práticas ditas sustentáveis sejam coerentes. 

*

🜊🜊🜊
(Giovanni Bellini)

sábado, novembro 19, 2016

*


adensam-se os escritos banais no livro-objecto....como uma melancolia de outono, como se os meus mortos me guiassem nessa névoa de sombras entre-mundos...(parabéns querida e amada mãe, continuo a ouvir a tua voz a soletrar o meu nome e a ver o sorriso nos teus olhos verdes)...
(Norbert Schwontkowski)

quarta-feira, novembro 16, 2016

*

*as atenções e as urgências só podem ser estas, face à enorme proliferação dos agentes em detrimento das vozes plurais das comunidades....


La protección general del folclore se encomendó a la UNESCO, de resultas de lo cual en 1989 ésta aprobó la Recomendación sobre la salvaguardia de la cultura tradicional y popular, que sentó un importante precedente al reconocer que la “cultura tradicional y popular” forma parte del patrimonio, al tiempo que fomenta la cooperación internacional y prevé las medidas que se podrían adoptar para su identificación, conservación, preservación, difusión y protección. Sin embargo, en las evaluaciones realizadas en distintos seminarios regionales, que culminaron en la Conferencia internacional de Washington celebrada en junio de 1999 , se concluyó que varios aspectos de esta protección, en particular las cuestiones terminológicas, la amplitud del tema y el tipo de definiciones empleadas se deberían abordar en un instrumento nuevo o revisado. La Conferencia subrayó la necesidad de dar mayor relevancia a los portadores de la tradición que a los especialistas y de dar muestras de mayor amplitud para que estuviesen protegidos no sólo los productos artísticos, como los cuentos o los cantos, entre otros, sino también los conocimientos y valores que posibilitan su producción, los procesos creativos que generan los productos y los modos de interacción gracias a los cuales esos productos son recibidos de manera adecuada y debidamente valorados. 

*UNESCO. 2001

terça-feira, novembro 15, 2016

(apeles symbolicus)

admiravelmente observo as pessoas sentadas ao sol nestas tardes de outono. aquecendo o corpo e a alma. que fabuloso é este astro que regenera e dá a vida...

BIBLIOGRAFIAS LOCAIS. SAGRADO POPULAR


este livro de João Geraldes sobre o ciclo quaresmal e pascal de Proença-a-Velha é para mim um dos mais completos trabalhos em torno desta temática local. pena é que muito raramente se conte com estes investigadores locais no sentido pleno de um enriquecimento colectivo e diversificado de olhares sobre os territórios do sagrado popular idanhense. forma-se a errada ideia que só um ou dois são suficientes para tamanha diversidade...

segunda-feira, novembro 14, 2016

*

(automat)

perguntarmo-nos sobre onde estávamos antes de nascer em vez de nos perguntarmos sobre o que acontecerá depois da morte.

*f. heritier, o sal da vida. p. 34.

sexta-feira, novembro 11, 2016

*


o que atravessa esta noite
é uma água clara sossegada
que corre entre as pedras escuras
de um país onírico
onde habita o vento nú


(a luz torna-se sangue e uma voz sussurra)




dúvido do cinema-guerrilha

e dos zumbidos dos insectos
só as superfícies estilhaçadas das palavras
só as superfícies estilhaçadas das palavras

quinta-feira, novembro 10, 2016

BIBLIOGRAFIAS LOCAIS. CATÁLOGO

doces de festa. coord. Eddy Chambino/Paulo Longo. 2008

este catálogo é um precioso documento que enquadrou uma exposição sobre doçaria de festa do concelho de Idanha-a-Nova. a este nível e com uma etnografia destas práticas alimentares locais penso que é mesmo único. continuo a pensar que sem estas partilhas de "olhares" é muito difícil projectar um território em termos daquilo que o identifica culturalmente, pois entramos num campo inteiramente social, onde as sociabilidades são a lente para o todo e não o produto em si (de rendimento imediato, sem redes, sem partilhas, sem o resto e o resto é o que o envolve culturalmente, é o que dá sentido ao todo)...

quarta-feira, novembro 09, 2016

DOS MEUS ESCRITOS...


escrever para mim é uma transcendência, é ir muito para além de mim. dedico longas horas ao banal, ao pequeno olhar. as minhas experiências estão próximas dos livros-objecto...

terça-feira, novembro 08, 2016

BIBLIOGRAFIAS LOCAIS. RELIGIOSIDADE POPULAR


este livro de António Catana e Hélder Ferreira é também um daqueles guias essenciais para conhecer os rituais quaresmais e pascais do concelho de Idanha-a-Nova. como é uma edição de 2004, consubstancia já essa dimensão histórica de olhares para estas manifestações que se impõem pelo seu universo performativo, mas para mim, são reveladoras em muitos aspectos dessa marcante relação  que as gentes raianas mantiveram (e mantêm, embora com as devidas transformações do devir vivencial) com o divino, ultrapassando muitas vezes o racional, o compreensível, indo ao encontro dessa noção de R. Otto, de um sagrado numinoso, esse mysterium tremendum...   

segunda-feira, novembro 07, 2016

BIBLIOGRAFIAS LOCAIS. POESIA POPULAR


este precioso livro com a poesia do Ti Zé Fatela é sobretudo um testemunho de dedicação de um enorme coração idanhense...mas é também, tendo em conta os seus rascunhos originais, um documento visual artístico de uma importância notável. temos que saber revisitar  os "nossos" artistas e afins...e estancarmos a sede dos quem vêem...dos que estão para vir....  

o outono em Idanha, a luz...sempre a luz que me espanta...

domingo, novembro 06, 2016


ainda os animais do badoca-parque, é sem dúvida um dia muito bem passado em torno destes animais em liberdade. aqui uma pequena manada de búfalos e gnus (?)...

sábado, novembro 05, 2016

UM SAFARI...


foi um safari com a Fiama no badoka-parque....

sexta-feira, novembro 04, 2016