terça-feira, junho 28, 2011

ARQUITECTURAS ALENTEJANAS


fotografei esta casa em odivelas (alentejo). para além dos seus apontamentos caracteristicos da casa do sul (chaminé, casa terrea, etc), achei encantador a pintura destes elementos florais à entrada da casa com tanto de simbolico nas suas variadas leituras.

segunda-feira, junho 27, 2011

PELO SUL...


por estes dias entregamo-nos aos aromas e às claridades do sul.

quarta-feira, junho 22, 2011

UM PROJECTO ADMIRÁVEL


*marco gervasio - faces of paris

absolutamente genial...

terça-feira, junho 21, 2011

POEMA


e uma tilia é a minha árvore escolhida
e todos os verões, que nela calam,
agitam-se de novo nos mil ramos
e despertam de novo entre o Dia e o Sonho

*rainer maria rilke

domingo, junho 19, 2011

VIGILIAS PERFEITAS


amigos(as) são 5 da manhã e não tenho vontade de me atirar aos sonhos. fumo uns cigarritos e estudo filosofia profunda (derrida). nada me cansa estou numa fase dionisiaca mas faltam-me as orquestas dos faunos. o amanhecer está atrás da janela...agora começo a ouvir pearl jam "imortality" e o amanhecer continua... afinal, este é o espaço de todas as imortalidades...


assisti a um concerto memoravel deste "feiticeiro" e passo noites mágicas a ouvir este "palhaço de deus"...

CAMINHOS VELHOS


quem se lembra dos velhos caminhos é quem têm saudade da terra.

VAMPIRIZAÇÃO CONTEMPORANEA, ELES COMEM TUDO E NÃO DEIXAM NADA...


(santiago salvador)

são os mordomos
do universo todo
senhores da força
mandadores sem lei
enchem as tulhas
bebem vinho novo
dançam a ronda
no pinhal do rei

zeca afonso

MONSANTO OU MONTE-SANTO

era manhã e em redor desse lugar poetico povoado de pedras e de luz.

PROENÇA-A-VELHA

toponimias...

IDANHA-A-NOVA: MEMÓRIAS E IDENTIDADES


andamos em permanentes reconfigurações identitárias e entretanto findam-se uns projectos culturais e outros se afirmam confirmando a permanente agitação da "vida social" das sociedades. contudo, lembremos que sem as memórias colectivas daqueles que celebraram, partilharam, experenciaram e encenaram esse mesmo espaço vivido e celebrado, tudo se pode tornar vazio de sentimentos e de projectos. se os integrarmos nos eixos centrais dos pontos de partida da acção cultural, estamos a partir desse "olhar emic" (olhar localizado) e a afastar-nos dessa perturbante leitura "etic" (olhar institucional, distanciado).

sexta-feira, junho 17, 2011

ESTRELINHA DO MAR


parabéns estrelinha por este admirável olhar...

quinta-feira, junho 16, 2011

segunda-feira, junho 13, 2011


sonhos! adorações! iluminações! religiões!
um amontoado de sensibilidades de merda!

*a. ginsberg, howl.

domingo, junho 12, 2011

ARQUITECTURAS POPULARES DO LADOEIRO

ladoeiro, 2011.


ladoeiro, povoação do concelho de idanha-a-nova, situada a sudeste da beira baixa, ao sul desta vila, estendendo-se numa faixa entre os rios aravil e ponsul. face às caracteristicas geologicas dos seus solos (grés arcósicos da beira baixa da era terciária-calhaus quarteziticos mergulhados numa pasta argilosa), as casas, enquanto resultado dos diálogos permanentes com o seu meio envolvente, foram, ao longo dos tempos, sendo (re)construidas em adobe, xisto, granito, quartezitos argilosos, etc. é precisamente este fértil diálogo com o meio fisico e social que transforma a casa num espaço de constantes e complexas alternancias. atente-se que a casa é isto mesmo, um lugar de continuidades e de descontinuidades onde confluem os parentescos. algumas casas, embora mantendo alguma da sua matriz original, transformaram-se e chegaram aos dias de hoje com leituras contemporaneas (materiais, tecnicas, saberes, esteticas, etc) outras, por multiplos factores, permaneceram estáticas no tempo, quase intactas daquilo que foi o seu projecto original. só uma leitura que tome em consideração o conjunto destes dois universos, em conjugação com a memória social dos espaços e das pessoas que as habitaram, poderá trazer novas pistas para a tão urgente interpretação destes espaços habitados. a titulo de exemplo, veja-se este admirável conjunto de uma das suas ruas centrais do ladoeiro, onde convivem tipologias pertencentes a diversas temporalidades. é para esta solene diversidade que temos que capitalizar os olhares e os ambiciosos projectos.

sexta-feira, junho 10, 2011

OS AMANTES ENTRE ALQUIMISTAS

Idanha-a-nova, 2011


ao fundo, no horizonte já dourado pelo sol de junho, as cores flutuantes de um enigmático arco-íris na verticalidade das não-existências mundanas ou melhor atrozmente esquecidas pelos interesses do capital (pois já ninguém olha poeticamente para o horizonte e as suas particularidades, não dá dinheiro). que extraordinário entardecer estrelinha, nós, os loucos amantes na varanda e ao fundo os alquimistas em danças solenes. fomos abrir as fontes perfumadas do vinho e ali ficamos até que os solitários alquimistas nos fizeram um santificada vénia. amén.

quinta-feira, junho 09, 2011

ODE AO MEU PAI E MINHA MÃE

(robert frank)

num amanhecer claro deste 8 de junho nasci no rundu (namibia) com o sopro das essências mágicas da grande alma africana. que assim seja até aos restos dos meus humildes dias...

terça-feira, junho 07, 2011

OS ULTIMOS POVOS LIVRES DO PLANETA



(bbc-human planet)

Jose Carlos Meirelles works for FUNAI, a government agency that protects Brazil's indigenous people. Because of the threat posed by illegal logging and mining, he believes that the fight to protect these people depends on proving and publicising their existence. This aerial footage was shot from 1km away using a stabilised zoom lens.

domingo, junho 05, 2011

DIAS LUMINOSOS


fazemos circulos em silêncio e em redor das pedras e das árvores. são pequenas viagens com teores cosmologicos.

ENCANTAMENTOS


um passeio numa manhã clara de junho.

TABERNAS


como deixamos de lado a vontade de documentar as tabernas da beira. já nada resta deste importante património...

sábado, junho 04, 2011

NAS TERRAS DE OLEDO

0ledo,2011.

hoje estivemos no oledo. um território anulado de projectos. questionei-me.. qual a razão do posiocionamento periferico? será a sua localização enquanto aldeia que comporta meramente uma via principal de aceso a Castelo Branco? não creio, pois aqui se posicionam eixos fundamentais para uma leitura séria e documentada dos territórios olivicolas. e não só...bastaria a vontade de trazer à luz a fantástica "vila romana" que existe (re)enterrada nos Barros...

BIBLIOGRAFIAS REGIONAIS


por vezes esquecemos o essencial. ou seja, a leitura destes autores locais que produziram conhecimento e leituras a partir destes lugares.

sexta-feira, junho 03, 2011

CARDO MARIANO

cardo de santa maria (Silybum marianum)

para além das suas fantásticas aplicações medicinais e curativas é ainda usada como coagulante do leite de ovelha/cabra proporcionando um queijo saborosissimo. tenho um especial fascinio pelo seu aspecto estético.

quinta-feira, junho 02, 2011

NOITES...

uma noite ao acaso numa cidade ao acaso da bulgária...

quarta-feira, junho 01, 2011

MIL UMA NOITES...


apenas a mera entrega total na deambulação pelo que resta da ferocidade da noite. há muito que abandonei esse atroz apego à evidencia das "coisas televisionadas". ruas e noite. noite e ruas. é este o meu sangue fantasioso. ontem mesmo recordava uma rua e uma noite particular de verão da minha infância no rosmaninhal. o aroma que vinha das casas a azeite quente, as mulheres sentadas à porta das casas em cadeiras baixas e a noite tão imensa, tão misteriosa e ao mesmo tempo tão intima e familiar. não existe a noite, existem sim, mil e uma noites...

vi um lobo azul.