quarta-feira, março 31, 2010

DEIXO-VOS A REVOLUÇÃO

(sylvia)


os nossos poetas têm orgulho no nome, mas não mostram qualquer disposição de aceitar a responsabilidade do oficio. não provaram que sejam poetas: ficam contentes com o facto de se designarem a si próprios como tal. não escrevem para um mundo sedento das suas palavras, mas si uns para os outros. justificam a sua impotência tornando-se deliberadamente incompreensiveis. estão fechados nos seus pequeninos egos cheios de glória; mantêm-se afastados do mundo, com medo de serem pulverizados ao primeiro contacto. nem sequer são pessoais, se se quiser ir ao fundo das coisas, porque se o fossem poderíamos compreender, apesar de tudo, o tormento, o delírio, em que vivem. tornaram-se tão abstractos como os problemas fisicos. nostalgia uterina, essa, por um mundo de poesia pura em que o esforço de comunicar esteja reduzido a zer0.

henry miller

QUO VADIS?

(adrià fruits)


para onde vão esses exércitos de massas com as sirenes do consumo pascal ligadas. se quem verdadeiramente interessa seguir é segundo o poeta-feitiçeiro (baudelaire):

quem paíra sobre a vida e sem esforço decifra
a linguagem das flores e de outras coisas mudas


terça-feira, março 30, 2010

MONGES QUE NÃO LUTAM, TÊM QUE LUTAR...





don't forget...

burma VJ

Synopsis:

The Democratic Voice of Burma (DVB) consists of a group of about 30 Burmese reporters who secretly film the abuses in their country. The footage is then smuggled across the border and broadcast via satellite from the headquarters in Oslo. These are the images that could be seen across the globe when a revolution was about to erupt in the late summer of 2007. Led by Buddhist monks, more than 100,000 people took to the streets to march peacefully against the military dictatorship that has held the country in an iron grip for 40 years now. Burma VJ -- Reporting From a Closed Country, which won the Joris Ivens Award in 2008, is almost exclusively compiled from footage shot by DVB reporters. One of them supplies the voice-over. From his hiding place in Thailand, he uses the telephone or Internet to stay in touch with colleagues who report on the uprising: shaky hand-held images of emergency deliberations by protesters, of the dispersion of the crowd, of monks and civilians getting knocked down. Their cameras hidden in bags or clenched under their armpits, the DVB reporters risk their lives and take the viewer right into the heat of the turmoil.

sexta-feira, março 26, 2010

HOMENAGEM AO BENJAMIM



pela extrema dedicação à causa antropológica neste país, benjamim pereira inscreve-se naquele singular grupo de grandes mestres feitiçeiros que deveriam possuir as mágicas sete vidas de um gato. são muitas as vezes que recordo de o ver sentado numa manhã clara de junho debaixo do perfume de um sol à entrada do centro cultural raiano e de me ter dito com aquela extrema simplicidade: estou a viver a manhã.

não percam, este é um daqueles "acontecimentos" que ganham a envolvência e a magia dum ritual...

programa

quinta-feira, março 25, 2010

SANTA LOUCURA

(alex sharovarov)

sou a maior autoridade dos estados unidos (...) em matéria de viver sem nada



in o segredo de joe gould, joseph mitchell.

HIPNÓTICO...

(dethjunkie*)


a poesia morreu.
vivemos num mundo-número.

quarta-feira, março 24, 2010

INOMINÁVEL...



por todos os lugares onde o meu olhar recupera o super-espanto de quem renasce...

ARQUEOLOGIAS...

encontrei esta reliquia. um recibo do parco vencimento semanal (4.800 escudos) que auferia na altura em que trabalhei na estação arqueológica dos barros (oledo). foi uma boa experiência. como o tempo urge, já lá vão 22 anos, tinha apenas 17 anos...

segunda-feira, março 22, 2010

ÊXTASES...

(sarah howell)

vivemos inteiramente no passado, alimentados por pensamentos mortos, por credos mortos, por ciências mortas. e é o passado que nos devora, em vez do futuro. o futuro sempre pertenceu e há-de pertencer sempre...ao poeta

henri miller

ORLANDO RIBEIRO



a não perder
...

pelas proximidades geradas entre este "mestre-feitiçeiro" e o território do concelho de idanha-a-nova, seria importante a vinda desta "mostra" ao CCR (centro cultural raiano).


domingo, março 21, 2010

PRIMAVERA...

a chegada da primavera neste dia com vestigios de uma chuva-clara-quase-india. a partir de hoje milhares de metamorfoses tomam conta do reino. dançemos perfumados em circulos mágicos. a luz regressou & os frutos amadurecem & os passáros celebram & os lobos procriam. a vida torna a ser corações-poema..

sábado, março 20, 2010

ARQUITECTURAS TRADICIONAIS: SOALHEIRAS


soalheiras (Idanha-a-nova), 2007.


penso que já referi aqui algumas linhas directrizes que remetem para o estudo e salvaguarda destas arquitecturas ditas vernáculas. contudo, elas continuam quase ausentes dos planos estruturais de acção das respectivas juntas de freguesia. é urgente "olhar" para estes conjuntos com seriedade, com dedicação, pois neles estão séculos de história, estão identidades que veiculam opções pessoais, conhecimentos e criatividade, está a diversidade de multiplos olhares sobre um mesmo espaço habitado, está uma cosmovisão do mundo vivido, está uma paisagem cultural, e por ai fora... façam-se inventários e estudos, registe-se tudo o que se possa registar, constituam-se arquivos onde se preservem os saber-fazer, as técnicas de construção, os materiais, as plantas interiores e exteriores, os objectos, as familias que habitaram estes espaços, etc. pois só por esta via, a do estudo, é que este importante legado se pode transformar num capital cultural vital para estes territórios quase "vazios" de gente e daí a possibilidade de despoletar partilhas dos olhares multiplos de quem as visita.

sexta-feira, março 19, 2010

"MAMASUNCION"



um interessante documento filmico. a narrativa bem podia decorrer numa qualquer aldeia raiana.

"MAMASUNCION"




parte II

quinta-feira, março 18, 2010

(tanya johnston)

deslumbramentos...

quarta-feira, março 17, 2010

MUNDOS ALQUIMICOS


ravenna, itália, 2010.


dentro desse mundo de aromas alquimicos de uma ervanária em ravenna. admiro estas (sobre)vivências que resistem ao avassalador e homogeneo mundo tecnológico. nestes espaços assisto ao "choque"(?): medicinas alternativas vs. medicinas convencionais. ou talvez até nem seja choque mas sim convivio-proximidade (?)...(o não?). seria útil uma etnografia destes espaços. porquê que se vai a uma ervanária? o que se vai à procura? o que se compra?

segunda-feira, março 15, 2010

"ISTO FOI A MINHA VIDA". OBJECTOS QUE CONTAM HISTÓRIAS



no café ou espaço social da aldeia das soalheiras (idanha-a-nova) estão estes objectos que remetem para os discursos sobre os trabalhos do campo de outrora. para a maioria dos residentes tratam-se de autênticos despoletadores de memórias desse tempo que ficou neles congelado. o objecto em si mesmo parece ter deixado de existir, para dar lugar à memória, à imaterialidade. nele apuram-se os saberes de o manusear, as tecnicas, revisitam-se os campos e as suas geografias, de quem pertenciam, para quem trabalhavam, o que comiam e não comiam, fala-se dos "ricos" e desses silêncios forçados, exorcizam-se fantasmas, e os objectos permanecem ali, no mesmo lugar. com estas memórias os objectos não ficam nessa letargia habitual, nessa atemporalidade muda que tanto fascina o urbano porque o faz "reviver" esse passado vindo do fundo dos tempos. enfim, como se poderiam problematizar neste mesmo espaço a maioria dos museus locais que congregam colecções etnográficas! e como de facto, o "voo do arado" continua incólume e sereno nesse espaço-tempo de tantos imaginários...

ADUFE 16


já está cá fora a agenda (municipio da idanha) deste primeiro semestre (2010). abre com um inesperado nevão. quem não se lembra? sobre a agenda, reforça-se a sua excelente qualidade, embora continue a pensar que se deveria alargar o seu espectro editorial à própria comunidade do concelho e do próprio municipio. mas deveras que é um facto, são poucos os municipios que apresentam esta qualidade.

quinta-feira, março 11, 2010

FELIX RODRGUEZ DE LA FUENTE




existiram poucos ou até nenhuns capazes de viver e de transmitir tão intensamente uma natureza viva como este grande "feitiçeiro". a série "El Hombre y la Terra" marcou gerações e talvez tenha sido, na época, pioneira em fazer tamanha obra documental sobre a fauna da peninsula ibérica, ou seja, sobre o seu próprio contexto vivencial. felix fundou, em 1975, o primeiro parque natural em espanha, escreveu enciclopédias, fez documentários, participou em inúmeras campanhas de protecção do mundo natural, etc, etc...sou um admirador deste mensageiro eterno do mundo natural. houve quem disse-se que felix era um embaixador da vida e ter morrido tão novo tinha sido um erro absoluto.

quarta-feira, março 10, 2010

terça-feira, março 09, 2010

ENCONTRO DE CANTARES QUARESMAIS


importante evento para a partilha destes cantos.

AINDA SOBRE ENCOMENDAÇÃO DAS ALMAS...


para saber mais sobre a história destas manifestações e acompanhar a sua respectiva calendarização destes cerimoniais, consulte-se...

sexta-feira, março 05, 2010

ENCOMENDAÇÃO DAS ALMAS



rosmaninhal, 2009.


com a quaresma que assinala o fim do inverno chega o tempo do ritual da "encomendação das almas". ritual este que pautou o calendário cerimonial dos territórios do interior e norte do país durante séculos. o objectivo e funcionalidade estava, durante este periodo de abstinência, na oração pelas almas do purgatório. trata-se de um ritual nocturno e repleto de códigos e simbolos mágicos: o número sete, o luto, as encruzilhadas, os lugares altos, a campainha, o canto lúgubre, etc. a mensagem alerta para a certeza da morte: "lembra-te de que és pó e em pó te hás-de tornar". contudo, com as profundas transformações do mundo rural, também a operacionalidade deste ritual se modificou. chegando mesmo, em alguns casos, a diluir-se no tempo e no espaço social habitado. vindo, fundamentalmente, na ultima década a revitalizar-se, em inúmeras aldeias e vilas, sob outras orientações e lógicas adscritas. refiro-me aos novos processos de emblematização das tradições e seus consumos que acarretam na maioria dos casos uma excessiva mistificação neo-romântica do passado. deste modo, quando se assiste hoje, 2010, século XXI, a este ritual, temos sempre que o observar à luz do que ele é hoje, no presente e nunca enquanto um "elo" perdido no espaço-tempo mitico desse passado que nunca iremos saber o que é. pois durante as suas práticas, dialoga-se com a realidade social da aldeia, discute-se o presente, tal como o passado e o futuro, reconfiguram-se as práticas, as emoções e os gestos. criticam-se comportamentos e modos de estar. nos cafés as luzes não se apagam, nem tão pouco as televisões com os entusiasmos dos globais jogos de futebol. enfim..., fica a pergunta: o que é a encomendação das almas hoje? que lógicas e motivações estão implicitas nos grupos que executam o ritual? e a população no geral, identifica-se?

quanto a mim, são precisamente estas "encruzilhadas" que devem estruturar a valorização e a respectiva salvaguarda desta prática ritualistica. já agora, para quem nunca presenciou este lúgubre ritual, fica o convite ao "olhar" e ao ouvido...

quinta-feira, março 04, 2010

(melissa murillo)


(...) uma simples madeixa do seu cabelo, que ultrapassa o ouro da terra como as estrelas ultrapassam as pedras preciosas da mina.

j r r tolkien

que a magia torne a fundar alfabetos....
syd barrett, 1946-2006

um grande feitiçeiro...

são muitas as ocasiões e frágeis os momentos em que nos entregamos às recordações...

quarta-feira, março 03, 2010

segunda-feira, março 01, 2010

O ÚLTIMO TOCADOR DE PALHETA DE MONSANTO


josé dos reis, o último tocador de palheta de monsanto, 1969. (michel giacometti)


este, é sem dúvida, um grande documento fotográfico. tanto pela evidência remota deste instrumento pastoril, derivado da arcaica "dulçainha" da Idade Média, hoje completamente esquecido. como pelo testemunho "vivo" do tocador. quanto a mim, merecia deveras um "olhar" atento e cuidadoso. pois neste instrumento e no seu tocador residem motivos suficientes para uma pesquisa e uma discussão mais alargada.