segunda-feira, junho 30, 2008

DESCANSAR SOB O PATRIMÓNIO


eis um exemplo claro, quanto a mim, demasiado claro!! como o conceito de património participa de uma enorme ambiguidade. nesta aldeia, esta interessante inscrição, foi aproveitada pelos locais para servir de suporte de descanso. noutro local, participaria de um infinito conjunto de discursos acerca da sua preservação, utilização, inventariação, estudo e suposta musealização. Aqui, neste local, ouvi atentamente as explicações dos que nela se sentam todos os dias. e...desta forma, efectuei um exercicio notável sobre as formas e as representações de viver esse enigmático passado...e de o (re) contar...

COMEMORAÇÕES LEITE DE VASCONCELOS


o Museu Nacional de Arqueologia celebra os 150 anos deste incansável investigador, Jose Leite de Vasconcelos. Investigador que também percorreu com esse infatigável carácter as terras raianas. Muito ainda haveria para revelar deste celebre arqueólogo, etnógrafo, filólogo, etc., e da sua incansável obra. Numa das suas multiplas viagens ou "excursões" pelo país, com o intuito de efectuar recolha de informação variada, sendo posteriormente parte destas viagens ou "excursões" o fruto de um livro denominado "De terra em terra", J. L.V. escreve, em relação à sua breve passagem pelo concelho de Idanha-a-Nova, em particular pela aldeia de Monsanto: "Aos penedos que revestem a parte alta da povoação andam anexas lendas, nomes e ditos. De dois que se ligam angularmente, chamados Penedos Juntos, conta-se que dizem os Hespanhois: Monsanto, Monsanto, orejas de mulo, quien te gañar, gañará el mundo" (Vasconcelos, p. 164). Passados estes anos todos e ainda continuam estes gigantes quixotescos a emanar a sua estranha energia...

sexta-feira, junho 27, 2008

NIKOS KAZANTZAKIS


tenho uma profunda admiração pela obra deste singular "feitiçeiro"....

"Não tenho nenhuma esperança. Não tenho medo de nada. Sou livre."
Este é o epitáfio do poeta, novelista, dramaturgo e filósofo Nikos Kazantzakis, gravado em seu túmulo em Heraclion, na Ilha de Creta.
A obra:
O Kapetán Michális
O Cristo Recrucificado
Os Irmãos Inimigos
Zorba, o Grego
A Última Tentação de Cristo
Ascese
Odisséia
O Pobre de Deus

quinta-feira, junho 26, 2008

UM DOS MELHORES FILMES DE SEMPRE...



the last temptation of christ.

Martin Scorsese, 1988.



AS TRÊS RELIGIÔES DO LIVRO


Sacred Catalogue (Paperback)
People of the Book: Judaism, Christianity, Islam
Author:
ISBN:978 0 7123 4955 0
"The centrality of a book of revelation is one of the key features which these three religions have in common and underlies the reason for bringing them together in the ‘Sacred’ exhibition, which aims to contribute to a better understanding of the three traditions by exploring the aspects which they share as well as their differences. This is done primarily by focussing on how their sacred texts have been written down and adorned, leading to the production of some of the world’s most sublimely beautiful books. The manuscript emerges as a metaphor for the interaction between these three religions and the ways they have influenced each other."

ARQUIVOS SONOROS...



para refrescar...

quarta-feira, junho 25, 2008

ARQUITECTURA DINÂMICA...

CHEGOU A ERA DA ARQUITECTURA DINÂMICA...


David Fischer, é o nome do arquitecto italiano que inaugura uma nova era, a era da arquitectura dinâmica, a era dos arranha-céus autosuficientes. um verdadeiro espanto, um assombro!!!!

terça-feira, junho 24, 2008

SUGESTÃO...



M. Ward : "Requiem"

S. JOÃO, A FESTA DO MEDITERRÂNEO...


(Como muchas ciudades de costa españolas, A Coruña celebra la noche más corta del año con fuegos artificiales y multitud de pequeñas hogueras en sus playas)
(En Haría, en el norte de Lanzarote, se quema el muñeco 'Don Facundo')
( En San Pedro Manrique (Soria) se celebra el rito del 'Paso del Fuego'. Los naturales del pueblo se descalzan y pisan las brasas encendidas sin llegar a quemarse los pies, la mayoría de las veces con alguien a cuestas)
(Fonte: El Pais)
Mais S. João...

segunda-feira, junho 23, 2008

S. JOÃO, ROSMANINHAL





como tenho aqui referido, a celebração do S. João na aldeia do Rosmaninhal é, quanto a mim, uma das festas do concelho de Idanha-a-Nova que mais impressiona. tanto pela singularidade associada às bestas (éguas, cavalos, burros, machos), como pela dimensão da comida e sua comensalidade. misturam-se os aromas intensos do rosmaninho com o do ensopado de borrego e nesta confluência junta-se a saudável euforia do povo em festa. sobre as virtudes desta noite, haveria muito para dizer...desde a colheita das ervas bentas aos banhos que as gentes e animais tomam ou melhor, tomavam, nos rios e nas respectivas fontes. nesta mágica noite purificam-se e exorcizam-se os males com fogueiras de rosmaninho:

"fogo no rosmaninho,
saúde no meu peitinho"


...esta é também, a festa por excelência dos pastores, fazendo lembrar as ancestrais festas de Pales, deusa romana dos rebanhos.

INTERSECÇÕES IBÉRICAS


"Intersecções IbéricasMargens, Passagens e Fronteiras"
de Manuela Cunha.




uma temática que nos "belisca" pela proximidade...enquanto raianos, habitantes de uma raia, de um limite, de uma linha, de uma fronteira, etc...

DO SAHARA AO KILIMANDJARO...


uma autêntica aventura...porque é urgente partir, ver o mundo de outra perspectiva...

sexta-feira, junho 20, 2008

ALEXANDRE, O GRANDE...




um documentário da BBC brilhante....

(Alexander the Great (BBC Documentary) 1 - Greeks Macedonians)

PLATÃO...




Platão...sobre o mundo das ideias...

A CELEBRAÇÃO DO SOLSTÍCIO DE VERÃO

"Em astronomia, solstício é o momento em que o Sol, durante seu movimento aparente na esfera celeste, atinge o seu maior afastamento em latitude, da linha do equador. Os solstícios ocorrem duas vezes por ano: em 21 de dezembro e em 21 de junho."

(wikipedia)

e, claro...o mitico stonehenge summer solstice. por cá, temos o S. João...


CONFERÊNCIA ARQUITECTURA DE TERRA


trata-se de uma conferência a não perder!!
mais informações:

quinta-feira, junho 19, 2008

Necessary and Unnecessary


(Slovenski etnografski muzej)

"takes a close look at consumer goods related to dress and to home. Objects in the latter category are connected with heating and lighting, the preparation and consumption of food storage, sleep, keeping the home clean and protecting it, while clothes are considered in terms of their protective role, as a status symbol and as adornment; also their constituent elements and accessories such as head coverings and jewellery, as well as different textiles and their manufacture."

Objects of Life, Objects of Desire



(Slovenski etnografski muzej)


"is the introductory story to the relation between man and objects, to the material heritage that speaks to us of its diverse meaning; this is the histroy of the Ethnographic Museum, its collectors and collections. Representative ocjects are presented as well as the Slovene ethnological region, with its characteristic building traditions, dress, dance and speech."

quarta-feira, junho 18, 2008



festival sons & ruralidades. 2008

CURSO DE VERÃO - ANTROPOLOGIA





Curso de Verão – Lisboa / Lisbon Summer Course



26-31 Julho 2008 / July 26-31, 2008

(deadline for applications: 29 June)

Contemporary Challenges:

From an anthropological point of view


mais informações:

http://ceas.iscte.pt/docs/summerschool/ceas_da_summerschool_2008.htm




segunda-feira, junho 16, 2008

11 burros caem no estomago vazio...



11 Burros caem no estômago vazio
2006, 27’ Tiago Pereira


"Proposta etno-musical com contornos antropológicos que explora as narrativas em torno dos habitantes do planalto mirandês e dos burros, animais com que estas pessoas partilham uma vida de isolamento e trabalho."

DOC'S KINGDOM, SERPA




8º Doc`s Kingdom
De 17 a 22 de JunhoSeminário Internacional sobre Cinema Documental. ver aqui programação
:
http://www.cm-serpa.pt/anexo/doc%C2%B4s%202008.pdf


"A programação deste ano terá como temática A Paisagem – o trabalho do tempo.
O programa incluirá uma viagem por obras e autores muito diferentes, desde abordagens mais clássicas a abordagens mais experimentais, passando também pela análise das fronteiras do cinema na relação com as outras artes.
Estarão presentes realizadores nacionais e estrangeiros e o programa incluirá filmes importantes da história do cinema bem como ante-estreias dos seguintes cineastas: Joris Ivens, Vittorio De Seta, João Mário Grilo, Kean-Claude Rousseau, James Benning, Inês Sapeta Dias, Sylvie Lindeperg, Nicolas Philibert
."

sexta-feira, junho 13, 2008

para DESCONTRAIR...



uma viagem...

"INTO THE GREAT SILENCE"




vejam...procurem...

porque é imperdivel...(eu vi no DOCS 2007).


O Grande Silêncio
Título original: Into Great Silence
De: Philip Gröning
Género: Doc
Classificacao: M/12

ALE/FRA/SUI, 1995, Cores, 169 min.


"O Grande Silêncio" é o primeiro filme sobre a vida interior da Grande Chartreuse, casa-mãe da Ordem dos Cartuxos, uma meditação silenciosa sobre a vida monástica. Dezassete anos depois de ter pedido autorização para filmar no mosteiro, é dada autorização para entrar ao realizador, que filmará a vida interior dos monges cartuxos. Sem música à excepção dos cânticos do mosteiro, sem entrevistas, nem comentários, ou artifícios. Evocam-se unicamente a passagem do tempo, das estações, os elementos repetidos incessantemente durante o dia ou as orações. Um filme sobre a presença do absoluto e a vida de homens que dedicam a sua existência a Deus. O filme ganhou os Prémios de Melhor Documentário no Festival de Sundance e nos Prémios Europeus do Cinema".

quarta-feira, junho 11, 2008

ALCÁÇOVAS: MUSEU DO CHOCALHO

1-Réplica de um chocalho numa das rotundas à entrada da vila.
2-Casa-museu do chocalho, uma das salas principais da visita.
3-Fotografia do pai do actual mestre chocalheiro.
4-João Chibeles Penetra, mestre chocalheiro.
5-Vista parcial de uma das paredes repletas de chocalhos.


Alcáçovas é terra de chocalhos e dos grandes mestres chocalheiros. a confirmá-lo está uma enorme réplica de chocalho, numa rotunda, logo à entrada da vila. aqui, nesta pacata vila alentejana, fui encontrar uma das maiores, senão mesmo a maior colecção de chocalhos do mundo. aliás, tal como o grande mestre João Chibeles frisou: se encontrar, no mundo, alguma colecção que tenha tantos chocalhos como esta, eu dou-lhe estes chocalhos todos!!! Pois muito bem, trata-se de uma colecção que ele próprio foi adquirindo, fruto da sua arte que já ultrapassou pelos menos 3 gerações. deste deslumbrante fundo, resultou o Museu do Chocalho. a histórica vila de Alcáçovas, confirma desta forma, a sua identidade ligada à industria dos chocalhos, assim como à ganadaria e ao histórico latifúndio. percorri atento, fascinado, cada espaço desta casa, onde ao mesmo tempo ia registando pequenas histórias associadas à singulariedade de um ou outro chocalho. marcas, simbolos, formas, tudo foi desvendado  ao mais ínfimo promenor. já no final da visita, revelou-nos um espaço enigmático, um espaço onde se amontoam centenas e centenas de velhos chocalhos, a maioria estragados, ao que ele denominou com uma certa dose de solenidade misturada com alguma tristeza: "aqui é o cemitério dos chocalhos"...
desde aqui, deixo-lhe um abraço e um grande bem-hajas...

terça-feira, junho 10, 2008

A CASA DO SUL


arquitectura tradicional: a casa alentejana. alcaçovas.

domingo, junho 08, 2008

EIS O DITO MANJAR PERFUMADO...


adianto que o Ti Zé, esposo da Ti Mari'Zé, ainda se dedica a cortar as perfumadas charas e giestas, transportando-as vagarosamente na sua velha carroça até casa. todos os dias prepara o forno com esta lenha perfumada e todos os dias o pão perfuma esta rua...

sábado, junho 07, 2008

MEMÓRIAS DO PÃO

Ti Mari'Zé, Rosmaninhal, 2008.



na aldeia do Rosmaninhal (Idanha-a-Nova) ainda persiste este ancestral modo de fazer o pão. embora já se encontre numa forma residual, com apenas duas padeiras no activo, ainda continua contra todas as incoveniências deste mundo cego "ASAE-asno" que teima em destruir de uma forma radical um conjunto de práticas milenares em prol de uma fobia higienizante (mas deixemos para outra altura esta tão prazenteira discussão). o pão do Rosmaninhal é sem dúvida um eco dentro e fora do concelho. toda a gente já ouviu falar, já provou e já se encantou com o modo tão particular de fazer o pão desta encantadora aldeia. também guardo memórias da minha infância deste saber-fazer, do aroma intenso a charas misturado com o sabor do mel numa fatia ainda quente, era tudo o que desejava receber da minha querida avó que com afinco e dedicação extrema, quase a roçar a perfeição, fazia sair do forno estes autênticos manjares perfumados. depois, franzina, com um tabuleiro enorme repleto de pão ia perfumando as ruas até chegar a casa. pelo caminho, os guardas-fiscais já tinham sofrido esse mágico encantamento, perseguindo-a até casa para ai lhe comprarem o precioso manjar. devido à sua proximidade com a fronteira espanhola, aqui também era costume fazer-se um pão tipico dos "nuetros hermanos", o denominado "pão-de-cama". a minha avó era exímia nesta especificidade tão cobiçada. hoje, pouco resta destes universos encantatórios, o pão já não percorre a rua da mesma forma, já não cheira a charas, agora dizem que o pão já não é o pão de antigamente. porém, na aldeia do Rosmaninhal, a Ti Mari'Zé e a Ti Cristina, ainda continuam a teimar em perfumar a aldeia com as memórias do pão.

sexta-feira, junho 06, 2008

HOMENAGEM A CLAUDE LEVI-STRAUSS



"Escuchar al renombrado antropólogo Claude Lévi-Strauss leyendo en 1971 el texto de su célebre obra “Raza y cultura” en la UNESCO y verlo pronunciar tres decenios después, en 2005, su última alocución en público en el mismo estrado… Por primera en su historia, "El Correo" recurre simultáneamente al sonido, la imagen y la escritura, para rendir homenaje a esta ilustre personalidad que va a cumplir cien años en 2008.

En este número especial, los lectores encontrarán también documentos inéditos y una antología de los artículos de Lévi-Strauss publicados en nuestra revista desde principios del decenio de 1950, así como fotografías y croquis realizados por él mismo en los años treinta, cuyos derechos de reproducción ha cedido amablemente a “El Correo”. Todos estos escritos y documentos vienen a ser otras tantas “miradas” a lo lejos, como las de su antología de artículos publicada hace 25 años con el título “La mirada distante”

(Fonte:UNESCO)

terça-feira, junho 03, 2008

MUSICA PASTORIL DAS TERRAS DE MIRANDA



tive a oportunidade de conhecer pessoalmente o Sr. Aureliano e de o ouvir tocar na aldeia do Rosmaninhal em 2007, enquadrado no seminário sobre Cultura pastoril, realizado pela Câmara Municipal de Idanha-a-Nova. um tocador de musica pastoril notável!!!

COLÓQUIO "AS ROMARIAS DA BEIRA BAIXA"


mais informações: http://www.cm-idanhanova.pt/

segunda-feira, junho 02, 2008

domingo, junho 01, 2008

A FEIRA DE GADO DO ROSMANINHAL




como este ano não tive oportunidade de estar presente na histórica "Feira do Gado" do Rosmaninhal (Idanha-a-Nova), opto por recordar apenas a dita efeméride. a feira de Maio do Rosmaninhal constituia-se como a maior feira de gado do concelho, tratava-se, sem dúvida, de um acontecimento impar. vinham de todo o país negociantes e curiosos para aqui assistirem a todo o tipo negociatas em torno dos gados. a aldeia fervilhava de gente nessa semana, as tabernas registavam lucros crescentes, as novidades dos bons e dos maus negocios circulavam de boca em boca a uma velocidade estonteante. vinham pastores com rebanhos, a pé, de todo o concelho, na tentativa de fazerem bons negocios. aproveitavam e vendiam as ovelhas velhas, denominadas de "badanas", tantas vezes motivo de burlas e de outras managâncias. havia também aqueles negociantes que se antecipam e percorriam o concelho para comprar "badanas" e depois durante a feira as poderem vender por preços mais avultados. por esta altura era igualmente costume fazerem-se as tradicionais "achegas de bois", ou seja, no fundo tudo se centrava em torno dos animais. eu, felizmente, ainda tenho uma leve recordação do que era parte deste encantador fervilhar, pois neste auge, frequentava a escola primária desta aldeia e o recinto da feira era mesmo em frente, daí que tenha presente, muito deste universo sensorial que hoje, infelizmente, se resume apenas a uma mera pontualidade. revelando deste modo, de uma forma evidente, todas as transformações e rupturas que este velho mundo rural sofreu. deixo-vos um registo de uma memória desse tempo:

Ti A., pastor, Rosmaninhal. 2005.

"Antigamente vinha muita gente a vender o gado a pé aqui para a fera de maio, eu não vendia na fera, não gostava de ir lá a vender, vendia no campo. havia muitos aldrabões, muitos marchantes. eles combinam uns com os outros. os bons negocios faziam-se antes da fera. compravam ai pelos campos as badanas, ovelhas velhas e depoi vendiam a outro preço na fera. agora alguns compram gado velho que é para ter o conto para o subsidio."