domingo, julho 21, 2013

TODO O AR PARA EMBRIAGAR DE VIDA...

(overdoz)

a ave negra, embriagada de ar, admira com solenidade e talvez desprezo os humanos que se afogam em canseiras e lutas desnecessárias....

sábado, julho 20, 2013

*ULA...*ULA...

(comic-gifs)

genial...

DOCS

BIBLIOGRAFIAS

recomendo seriamente a leitura deste livro a todos os membros do governo central de Portugal. talvez aprendam a decifrar uma metodologia democrática, pragmática e séria de um país que em 2008 mergulhou na banca rota e hoje está com indices de rejuvenescimento absolutamente extraordinários...

sexta-feira, julho 19, 2013

DINASTIAS DE BIAS...

(jes cervoni)

lembro-me dos meus poéticos e magros tempos de juventude em que era comum pedirmos a "bia"....não havia dinheirinho para cigarros tinhamos forçosamente que partilhar.

FESTIVIDADES

aproveitem este magnifico tempo de verão para conhecer as terras hospitaleiras e telúricas da raia idanhesense...

GUIAS MINEIROS...

SONHOS....

para mim são sempre os cumes das arvores que ao longe terminam os dias  incendiados de sonhos...

quarta-feira, julho 17, 2013

COISAS DA HORTA...

como estou atarefado com um projecto de uma horta, as leituras têm sido destas temáticas horticolas e afins. deixo-vos uma curiosidade: a couve-flor e o broculo são flores imaturas...

ABSOLUTAMENTE CLARO...

para toda a forma de pensamento e de actividade humana, não se pode questionar a natureza e a origem dos fenómenos sem antes tê-los identificado e analisado, e também descoberto em que medida as relações que os unem bastam para explicá-los.

*claude levi-strauss, antropologia estrutural dois, p. 14.

terça-feira, julho 16, 2013

PAISAGEM E MEMÓRIA

na deambulação dos antigos caminhos dos territórios idanhenses somos com frequência confrontados com uma paisagem intensamente humanizada com notáveis significações pastoris. para lhes dar a devida leitura integrada do conjunto, a visibilidade e a profundidade histórica seria importante a marcação/identificação destes itinerários em termos da criação de uma simbólica de identidade pastoril. permitindo ao visitante/turista a experiência directa com elementos desse passado histórico e com esse presente captado pelo olhar/lente que se guarda para uma eventual partilha futura da história e experiência do lugar. também nestas lógicas de usufruto de uma paisagem, não podemos esquecer que os pontos onde se alinhavam estas partilhas têm que se inscrever numa visão de conjunto com os diálogos das comunidades locais...

AS DIVERSIDADES DE PERSPECTIVAS QUE NOS RODEIAM...



dessa estranha relação que mantemos com os elementos que nos rodeiam surgem as nossas principais referências em termos culturais...

NAS TERRAS DO BARROSO....


A exposição temporária Os panos que a casa dá - Trajes de Barroso é o resultado de uma parceria entre o Museu de Arte Popular e a Câmara de Montalegre através da Casa do Capitão – Ecomuseu de Barroso. Reunindo acervos do Grupo Folclórico da Venda Nova, freguesia do concelho de Montalegre, do MAP, da Casa do Capitão e do MNE, esta exposição traz a público uma mostra das formas populares de trajar da região de Barroso.
Ocupando a sala de Trás os Montes do Museu de Arte Popular, a exposição divide-se em nove núcleos que exploram a diversidade de têxteis produzidos na unidade doméstica a partir das duas matérias primas e que são o linho e a lã, mostram algumas das peças icónicas da região, como a capa de burel e a croça de juncos, e apresentam um conjunto de trajes de trabalho e de cerimónia característicos da região.

segunda-feira, julho 15, 2013

quinta-feira, julho 11, 2013

DOCUMENTO HISTÓRICO....

(pirkle jones, 1957)

um impressionante documento histórico sobre a dureza do trabalho nos campos de algodão. trata-se de uma mulher que carrega (arrasta) o filho adormecido sob o saco do algodão recolhido.destacando-se essa dimensão absolutamente capitalista da anulação das perspectivas sociais e afectivas em prol do capital/produção...

quarta-feira, julho 10, 2013

A VIA ÁPIA (ROMA), A RAINHA DE TODAS AS ESTRADAS...

(eclassics)

Imperador Cláudio "dixit": as vias romanas são construidas para a eternidade...

domingo, julho 07, 2013

NO DOCIL MECANISMO DAS COISAS...

BRINCAR AO GOVERNO...

(Nick Howard)
agora inventa-se a categoria de "vice-primeiro-ministro"...que mais será preciso para segurar poderes...quando num estado verdadeiramente democrático cabe sempre aos cidadãos a suposta eleição...

quinta-feira, julho 04, 2013

(?)

é assim, dei comigo "quase" a falar sozinho para este precioso lugar de exorcisação...porém,fruto da massificação do faceboock e pelas estatisticas que tenho consultado não vale a pena o esforço continuado, o trabalho e a dedicação a este lugar. esboçava-se com as perspectivas imaginárias de qualquer lugar criativo, como um mero escape de tantas incongruências...mas enfim, ganham mais uma centisima-milésima-vez (tal com james joyce gritava e sonhava e tantos outros sem escolha  e perspectiva)...

A PROPOSITO DAS ARQUITECTURAS POPULARES DE IDANHA-A-NOVA

é sempre com sons e efeitos visuais diversos e complexos que o acto de fotografar acontece. aqui por imensa pena minha ficou ausente a verdadeira e singular ambiência sonora e imaginária que esta rua projecta em maio. é por culpa e sentido destas poéticas visões, intensamente mescladas com os discursos da pequena/micro escala do social, que os grupos por norma se identificam e congregam aos principais "metabolismos patrimoniais" (linguagens e significações). nos casos adversos e mais generalizados, em que se tornou norma, obviamente contrária a estas visões, e onde a activação patrimonial é feita por processos contrários, ou seja, de cima do alto dos poderes para baixo para as comunidades, tudo isto não faz qualquer sentido...assiste-se assim por estas vias e por consequência ao mais obvio distanciamento de identificação em termos memóriais da comunhão/conjugação de um espaço e de um tempo local (calendário). tudo parece demasiado distante, até mesmo o caminho e as memórias que ligam as casas da aldeia....

terça-feira, julho 02, 2013

LUPERCALE

(romanempire)


afinal em 2007 o municipio de roma anunciou a descoberta da respectiva cova onde a loba luperca amamentou remo e rómulo. estava localizada a 16 metros por baixo do Domus Augustea, a casa do primeiro imperador, no monte Palatino. seria mesmo??!!!