quarta-feira, fevereiro 26, 2014

OS SINOS. DO TOQUE MANUAL AO AUTOMÁTICO

divulguei um pequeno documento fílmico sobre um toque manual dos sinos da vila de Idanha-a-Nova e seu respectivo mestre, com os propósitos de sinalizar e dar ecos à importância destes elementos sonoros estruturais para o funcionamento dos quotidianos das sociedades rurais e seus respectivos mestres e saberes. hoje, são inúmeros os factores que contribuem para as suas aceleradas reconfigurações (envelhecimento, novidades tecnológicas, negócios, etc), nomeadamente a sua malograda mecanização automatizada. por outro lado, sem justificação aparente, quase não existem referências bibliográficas e documentais, ou registos sonoros e filmicos sobre os inúmeros sinos do concelho, sobretudo seus funcionamentos, toques, origens, história e mestres. sendo um elemento estrutural e com significados sociais e culturais tão marcantes, a que se deve tal esquecimento? penso que foi precisamente porque nunca se silenciaram definitivamente, porque a sua funcionalidade (embora automática) continua a pautar os quotidianos destes territórios. sobre a transmissão deste ancestral saber e suas componentes de valorização local, seria interessante o surgimento de iniciativas promocionais junto das comunidades jovens, tal como já se faz em inúmeros países europeus sob orientações especificas e com apoios financeiros.

*apenas uma nota que me passou, pois muitas vezes escrevemos a velocidades transgressoras e algo fica para trás na poeira. a propósito desta gravação e deste momento gerado, destaco que foi a partir de uma iniciativa do compositor Tom conjuntamente com a ADRACES (Paulo) que o momento do registo se concretizou. refira-se também que esta iniciativa e o seu quadro de acção, penso que já será um arranque para a valorização das paisagens sonoras sineiras do concelho.

PEQUENAS COISAS...


e enxerto a luz
em tudo o que nomeio
 
*daniel faria, poesia, p. 42

sábado, fevereiro 22, 2014

sexta-feira, fevereiro 21, 2014

GERMINAR...

as ervilhas (bio) estão quase prontas para transplantar...
*embora sabendo que vou atrasado na plantação fico na expectativa de ver o resultado final. penso que estas "matérias vegetais" têm também os seus graus de improviso...

quarta-feira, fevereiro 19, 2014

RUMOROSOS MOMENTOS...

observo as penedias ao longe entregues aos grandes silêncios ruminantes. são demoras de exercícios de escrita escuros que dão em enverdecer aromas...   

terça-feira, fevereiro 18, 2014

ROSMANINHAL. TRABALHO DE CAMPO


uma imagem do trabalho de campo efectuado no território do Rosmaninhal. o tema desta ampla prospecção foi o património mineiro desta região. com a dedicada colaboração da Junta de Freguesia do Rosmaninhal [Joaquim e Francisco] estivemos (município de Idanha/Geopark [Valter, Carlos, Eddy]) no terreno a registar, revisitar, estes importantes  patrimónios que contam uma História desta mesma paisagem.

segunda-feira, fevereiro 17, 2014

LONGA VIDA À FILOSOFIA (DE LEITURA URGENTE)

 
 
(Jornal El Pais, 18 Janeiro 2014)
 
um texto de opinião com uma carga de lucidez notável e com notas bastante esclarecedoras à cerca da valorização/utilidade da filosofia na vida quotidiana. colocando a nu toda essa secura angustiante de um conjunto de politicas cegas viradas para os números e suas obvias multiplicações financeiras. abraço inteiramente esta mesma opinião e causa e acrescento "longa vida às Ciências Sociais em geral".

sábado, fevereiro 15, 2014

MONSANTO. MISTÉRIO E FASCINIO

 
o inverno, a vagarosa noite e os seus rumores numa rua de Monsanto completam essa tremenda e profundíssima máscara espectral.

quinta-feira, fevereiro 13, 2014

VOLTAR AOS RESPLENDORES

 
são várias as razoes que nos fizeram afastar em jeito de sacrilégio dos ciclos naturais. daí a perda constante e angustiante do interesse dos olhares pós-modernos para os fascínios e magias dos domínios graves do mundo natural. olhamos cada vez menos com essa carga magica para o céu e para o que nele acontece. voltemos o olhar para o resplendor dessas forjas de mitos...

quarta-feira, fevereiro 12, 2014

DA NOSSA HORTA ENCANTADA...


é verdade, os primeiros pés de alho (bio) que plantamos começam a ter uma definição saudável...

segunda-feira, fevereiro 10, 2014

TEATRO VIVO

(giorgia napolitano)

um teatro que subordina ao texto a encenação e a realização ou seja, tudo o que em si é especialmente teatral, é um teatro de cretinos, de loucos, invertidos, gramáticos, merceeiros, antipoetas e positivistas, em resumo, ocidentais.
*a. Artaud, o teatro e o seu duplo, p. 40.

domingo, fevereiro 09, 2014

AOS SENTIDOS...

idanha-a-nova, 2014.

há qualquer coisa de remoto nestes lugares solitários onde o nevoeiro paira. quase um apelo aos sentidos mais apurados....mas sem discursos, sem linguagem. é apenas uma força para os sentidos que recorrentemente persigo para alcançar alguma correspondência com essa poesia...essa poesia...

EXPERIÊNCIAS....

 
pequenas experiências do olhar. tenho por hábito pensar os meus processos de escrita quase sempre a partir de experiências fotográficas.

sábado, fevereiro 08, 2014

O MAIS PELO MENOS

se não estamos predispostos a olhar para alem das fronteiras do conhecido como iremos entender o que quer que seja?

sexta-feira, fevereiro 07, 2014

A MANHÃ DE INVERNO

por aqui um aroma intenso a lenha queimada mistura-se com o ar frio e a água da chuva...

quarta-feira, fevereiro 05, 2014

terça-feira, fevereiro 04, 2014

BIODIVERSIDADE DOS REINOS DA PROXIMIDADE

na surpresa estética deste exemplar (Bryonia dioica) muito proxima de tipologias e atmosferas quase "amazónicas"....

sábado, fevereiro 01, 2014

ESTES CHILREARES SÃO A VIDA DA MANHÃ...


escrevo no meu caderno das manhãs:
 
chilreares
e se as manhãs tivessem a fonte nestes claros chilreares?

CCR, O ANIVERSÁRIO...


num plano de crises existenciais para quase todos os serviços que o interior do país heroicamente sustenta e dá persistência, é de louvar a notável existência de uma instituição cultural deste nível em Idanha-a-Nova. o programa das festas aqui http://www.cm-idanhanova.pt/