quarta-feira, setembro 29, 2010

TESE DE MESTRADO


foi em maio (uf..como o tempo urge) que defendi a minha tese de mestrado em Antropologia: Patrimónios e Identidades (ISCTE), perante os elementos do juri, constituidos por: Prof. Dr. José Sobral, Profª Drª Nélia Dias e Prof. Dr. Pedro Prista (orientador da tese). a avaliação foi bastante positiva (classificação máxima) pois a minha entrega tinha sido total, com momentos verdadeiramente fascinantes, outros mais amargos, enfim, um trabalho exige isso mesmo, uma boa gestão das emoções. trata-se de um trabalho de investigação em torno de uma colecção espúria de objectos de pastor. à semelhança de tantas e tantas colecções disseminadas por esses "museus" locais (fruto de uma complexa conjuctura histórica, politica e social, materializada na expressão "vontade de museu") encerradas na hegemonia perturbadora dos objectos. seria importante que muitos destes "projectos" que comportam colecções etnográficas se (re)configurassem no sentido de dar azo a novos problemas de investigação, olhados essencialmente a partir do presente.

9 comentários:

Joaquim Baptista disse...

Muitos parabéns
Um grande Abraço do

Joaquim Baptista

Eddy Nelson disse...

obrigado, joaquim.

um abraço

Chanesco disse...

Meu caro Eddy

Os meus parabéns.
Esta foi de Mestre!

Um abraço

Eddy Nelson disse...

Obrigado Armando. Continuo à espera do tal ambicioso projecto.

Um abraço

Francisco Pinheiro disse...

Parabéns, Mestre!
Um abraço.

oasis dossonhos disse...

Parabéns, Amigo! Tenho a certeza que se trata de mais um bom trabalho com a assinatura de um Mestre que antes de o ser, já o era!
Abraço
Luís Maçarico

Eddy Nelson disse...

- Obrigado Francisco.
- Obrigado Luis.

Um abraço

Anónimo disse...

Parabéns tardios mas muito sentidos, companheiro transumante Eddy.


Pedro Salvado, muito orgulhoso pois fui teu professor de Geografia naquela escola da Idanha que perdurava a memória do colégio, relembrando uma manhã cheia de névoas qundo fomos símos dos muros e fomos ler e interogar paisagense horizontes.

Eddy Nelson disse...

Obrigado Pedro e que saudades dessa liberdade-livre em tantas e tantas fecundas e encantadoras aprendizagens. aliás, elas continuam, continuarão com o mesmo fascinio desse tempo "primordial"...

um abraço