quinta-feira, fevereiro 10, 2011

IMPORTANTÍSSIMO, VITAL, PRECIOSO...

ouvi, durante a comunicação do director do museu nacional de etnologia, Joaquim Pais de Brito, no decorrer do colóquio "Património Imaterial em Portugal" e na sequência das suas palavras sobre o uso da fotografia a preto e branco pela equipa fundadora do museu durante as suas investigações, o seguinte comentário sobre esta obra magistral (patrocinada pela Câmara Municipal de Idanha-a-Nova) da autoria de um dos elementos dessa mesma equipa (Benjamim Pereira):

*"o livro do azeite, da autoria de Benjamim Pereira, é um caso absolutamente notável da história da edição portuguesa, talvez nunca se tenha editado fotografia a preto e branco como naquele livro!"

*joaquim Pais de Brito


2 comentários:

Anónimo disse...

é mesmo. Mas, ojo, a peça gráfica e de design é de autoria do grande Henrique Cayatte. Os desenhos do nosso Paulo Longo também são magníficos.
abraço.
pedro salvado

Eddy Nelson disse...

sem dúvida pedro, um livro é também a sua organização e criação gráfica e, neste caso, os fantásticos desenhos do paulo. porém, o que o Prof. J. P. B. quis realçar, foi, fundamentalmente, a componente da fotografia a preto e branco numa investigação, com toda a sua excelência artistica, tantas vezes descurada em muitas investigações. a importância desta excelência artistica ligada à imagem é fundamental que acompanhe o normal processo de uma qualquer investigação. tornando-se ela mesmo um objecto.

abraço