domingo, dezembro 13, 2009

CULTURA PASTORIL: COLECÇÃO DE ANTÓNIO MARTINS "CACARNE"





não me canso de divulgar esta admirável colecção de arte pastoril do pastor-artista antónio "cacarne". a riqueza patrimonial não é apenas ao nivel da materialidade dos seus objectos, é também toda a imaterialidade (histórias, locais de proveniência dos materiais, tecnicas, saber-fazer, acontecimentos, etc) que a envolve e lhe confere sentido. neste mesmo campo, a colecção documenta vários momentos da sua concepção, que por sua vez remete para diferentes lugares onde o pastor-artista exerceu o seu labor. a riqueza deste extraordinário acervo pastoril está efectivamente nesta (inter)conexão com as paisagens e com a vida quotidiana da idanha, em particular com os seus principais acontecimentos, no pautar do seu calendário ritualístico. são inúmeros os objectos que nos contam uma história e que o significam muita para além da mera actividade pastoril e do seu entorno. o extraordinário é que esta colecção mesmo neste estado vegetativo em que se encontra (com muita pena minha), têm acompanhado alguma da contemporaneidade politica da vila, nomeadamente através do acto da parte do pastor-artista em guardar cartazes ou panfletos referentes às respectivas campanhas eleitorais autarquicas ou até mesmo nacionais. neste plano, estes elementos contemporâneos vêem acrescentar novas histórias à colecção, interligando-a com a vida quotidiana da vila. é precisamente neste sentido que esta colecção ganha sentido, fora dele, sem o seu principal mentor, ela é um conjunto de objectos moribundos, sem alma, sem conexão social. daí que todos os esforços tenham que ser feitos (com todo o sentido de urgência) para que esta admirável colecção seja salvaguardada, estudada e preservada dentro destas mesmas lógicas e venha a ocupar todo o merecido destaque que ela merece. pois o concelho e em particular a vila de idanha a nova ficam mais ricos, pois ganham um dos mais ricos espólios de arte pastoril, acompanhado das suas as memórias e de toda uma admirável cosmologia deste singular pastor-artista. só assim poderemos falar abertamente de uma verdadeira politica de preservação patrimonial, pois não basta guardar é urgente estudar e dar a conhecer...

2 comentários:

Anónimo disse...

excelente. temos de conceber uma grande exposição que ilumine estes últimos criadores das pequenas grandes coisas da vida. um trabalho que una vontades, interesses técnicos, disciplinas e territórios de estudo. a 'cultura pastoril' merece esse traço-horizonte de união emergente e necessário.alinhas?
p. salvado

Eddy Nelson disse...

amigo pedro, é claro que alinho, aliás, penso mesmo que é o faz falta, dar a conhecer estes actores que deram corpo, uso e notariedade a uma paisagem que hoje se esboça enquanto um bem patrimonial mas cujo os seus principais intervenientes ficaram esquecidos. vamos a isso!!!

um abraço