quarta-feira, dezembro 19, 2007

O CICLO PASTORIL E SUA GESTÃO



O ciclo pastoril é gerido com a máxima prudência pelo pastor. O rebanho, é o seu foco primordial, o seu centro cósmico, tudo parte desta fecunda relação, entre o pastor e o seu rebanho. É necessário vender a criação, escolher as melhores fêmeas para substituir as perdas, tudo tem que continuar na óptica da maximização. Por vezes também se equacionam as emoções, aquele borrego com uma estrelinha na testa, a cor, a aquele que pelo seu caracter dócil se assemelha a um cão, perseguindo os passos do pastor, aquele que agrada tanto à sua mulher como à sua neta, etc. Porém, na escolha das borregas (porque os machos são na maioria todos vendidos), prevalece a questão hereditária, ou seja, quando as mães são de boa qualidade, a escolha está definida. Por outro lado, a melhor altura para vender borregos, é precisamente a época de Natal, daí que tudo esteja calculado e gerido para que em finais de Outubro e inicios de Novembro se efectuem as parições. Tudo está calculado, épocas de fartura e épocas de magreza. Geralmente, os pastores vendem os borregos a peso morto, ou seja, depois de devidamente mortos no matadouro e desmanchados. Porém, também é costume vender a olho e a peso, tudo depende do ano e das respectivas economias nacionais, assim como locais. Como me comunicou um pastor " É conforme o ano, este ano foi um ano bom!".

1 comentário:

Jofre Alves disse...

Agora com o blogue configurado para só receber comentários do blogger é mais difícil.

Penso que já passei e comentei, mas como não o vejo, deixo os mais sinceros votos de Boas Festas e feliz Natal.

Jofre Alves
http://couramagazine.blogs.sapo.pt/
http://couramagazinefoto.blogs.sapo.pt/