terça-feira, fevereiro 03, 2009

(ether-elegia)

hoje não consegui escrever poesia em cima do telhado. a chuva foi intensa apenas comigo. tornei a entristecer com tanta agua. os beirais dos encantados telhados tiveram que chorar comigo. ali ficamos sem escrever. passou um determinado tempo morto e avistei no meio da já penumbra das proximidades um tolhido casal de cegonhas encaixado no centro de um coração de espinhos. luziam primaveras adiadas. senti pelo menos isso. foi então que surgiu outro pavoroso grito das florestas negras. desta vez era a luminosa voz de  nietzsche:
"o que há de maior no homem é que ele é uma ponte, e não um termo: o que se pode amar no homem é que ele é uma passagem e uma queda"

...

2 comentários:

vaandando disse...

...como gostei de o ler, como...
... escreva mais e mais ...
abraço __________
Jrmarto

Eddy Nelson disse...

"gracias" amigo J. marto.