segunda-feira, março 17, 2008

ARQUITECTURAS DE TERRA




Casas em adobe, Ladoeiro (Idanha-a-Nova), 2008.

aqui neste lugar virtual tenho dedicado uma especial atenção a este tipo de construções. isto pelo facto de assistir ao seu progressivo desaparecimento. sabendo da importância milenar destas construções ecológicas, tenho alertado consecutivamente para a sua preservação. da minha parte, registo o saber-fazer dos seus "arquitectos", as suas técnicas, os materiais, as perícias, os objectos e as múltiplas histórias que lhes estão associadas. aproveito ainda para fazer a biografia possivel de algumas destas casas, traçar mapeamentos, etc. relativamente à sua localização geográfica dentro do concelho de Idanha-a-Nova, estas construções circunscrevem-se basicamente às aldeias do Ladoeiro e dos Toulões e suas respectivas paisagens limítrofes. 

2 comentários:

Joaquim Baptista disse...

Caro Eddy em Proença-a-Velha também as há


Abraço

Joaquim

Eddy Nelson disse...

Joaquim, antes de mais bem haja pela dica! eu apenas conheço em Proença-a-Velha, assim como um pouco por todo concelho, casas cujo o andar superior se construia em taipa de ripado com a sua respectiva argamassa (barro e palha), como também nas divisões interiores das casas. Embora sendo apenas uma parte da casa, trata-se efectivamente de construções em terra, que implicam todo um saber-fazer especializado, mas que se enquadram noutra tipologia de construção tradicional. Por outro lado, aquelas que refiro no post (em adobo ou adobe) comportam um conjunto de técnicas muito específicas, próximas das mais ancestrais utilizadas em diferentes partes do planeta (elaboração da argamassa, misturas, secagem, etc). Normalmente estão intimamente associadas aos terrenos terciários, como é o caso de Toulões e do Ladoeiro. Note-se ainda que as construções em taipa de ripado com barro no andar superior da casa, onde geralmente se localizava a cozinha, ou seja, o centro da casa, tornava-se uma optima solução para o isolamento da respectiva casa. Pois, ao contrário do que muita gente pensa, as gerações antigas sabiam muito bem utilizar os recursos de que dispunham. Valia a pena pensar nisto, será que os modernos materiais e as modernas técnicas de construção superam estes saber-fazer ancestrais e seus materiais em eficiência e durabilidade? tenho a plena e inteira certeza que não, mas...!!???

um "saludo".