quinta-feira, março 20, 2008

RITOS QUARESMAIS


A quaresma que se iniciou com um amortalhar colectivo atinge o seu auge. Esta penitência colectiva  outrora assente sobretudo em ritos negativos: abstenção de consumir carne, proibição de actividades ruidosas, de cantar durante o trabalho e mesmo de usar roupas "alegres". Hoje resume-se praticamente à pontualidade do luto tenebroso da Sexta-Feira Santa, pautado por solenes procissões nas ruas escuras das aldeias onde o silêncio impera. Tudo se revela tenebroso: os passos lentos e dolorosos, as vestes negras, a sonoridade triste, a contenção das gestualidades, as velas e os archotes que crepitam como fogo-fátuos, o som sinistro das matracas que, segundo dizem,  "é semelhante ao som de ossos que se partem". Trata-se no seu pleno sentido simbólico de uma morte colectiva. Para quem nunca presenciou esta fascinante vivência, aconselho impreterivelmente o acompanhamento destes ritos tenebrosos pelas aldeias do concelho de Idanha-a-Nova, porque vale mesmo a experiência!

6 comentários:

Jofre Alves disse...

Uma lição permanente de saber, amor regionalista e dedicação, eis como se define este blogue, tudo de braço dado com a melhor qualidade. Um reportório que me agrada visitá-lo de sobremaneira. Desejo uma Santa Páscoa e boa semana.

Eddy Nelson disse...

caro jofre,

bem hajas!!!

Joaquim Baptista disse...

Boa Páscoa, desde a fria Egitânia

Abraço

Joaquim

Eddy Nelson disse...

bem hajas joaquim, também para si uma boa Páscoa.

Um abraço

Chanesco disse...

Caro Eddy

Chegado aqui já com a Páscoa já passada, resta-me desejar que ela tenha sido óptima.

Um abraço

Eddy Nelson disse...

"gracias" amigo chanesco.