segunda-feira, janeiro 18, 2010






pai
18.01.99

existem procuras que por si mesmas são escuras e enigmáticas
distâncias infinitas percorridas no sonho e no acordar de todos os dias que uma vida tece
assim me prometi neste e nos outros lodos que este dia a tristeza sempre renova
estou a caminho pai estou a caminho
extenuado dos diamantes desse sal dos olhos que arde sem elouquecer
vale-me a meia-noite que escrevo em todas as estações doces e vindouras
vale-me essa voz já água




2 comentários:

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Absolutamente belos , imagens e palavras ...
Aqui há arte!
Abraço , antropólogo, poeta andarilho.
----------- JRMARTO

Eddy Nelson disse...

obrigado poeta das claridades...

um abraço